atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Pesquisadores da Ridesa visitam estação de melhoramento de cana da Ilha da Reunião

09/06/2015 Cana-de-Açúcar POR: Assessoria de Imprensa
Reunião é o nome de uma pequena ilha do Oceano Índico, que recebeu na semana passada especialistas em cana-de-açúcar de todo o mundo para participarem do “11th Germplasm and Breeding & 8th Molecular Biology Workshops”, promovido pelo ISSCT (International Society of Sugar Cane Technologists).
Cinco pesquisadores da RIDESA (Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroenegético) participaram do evento: Hermann Paulo Hoffmann, Monalisa Sampaio Carneiro, Danilo Eduardo Cursi, João Messias dos Santos e Rodrigo Gazaffi.
Eles aproveitaram para conhecer um pouco mais das pesquisas realizadas na Ilha da Reunião com cana-de-açúcar. Visitaram o programa de melhoramento da eRcane (estação experimental de Vue-Belle e Etang-Salé) e a estação de cruzamentos de La Bretagne.
Nas estações da Ilha da Reunião o melhoramento de cana é direcionado visando a obtenção de variedades adaptadas às condições edafoclimáticas da ilha, que por sinal são bem diferentes das condições encontradas no Brasil. 
No programa de melhoramento de cana desenvolvido na localidade, o desenvolvimento de variedades ocorre em duas fases (hibridação e seleção) e é baseado em pesquisa genética. Para selecionar novas variedades, as equipes da eRcane têm uma grande germoplasma, com parcelas de multiplicação, estufas de hibridação e sete estações experimentais em diferentes partes da ilha. A grande diversidade de solos e microclimas encontrada na Ilha da Reunião ajuda a desenvolver as variedades, que são bem adaptadas para condições muito diferentes. As variedades "R" são atualmente encontradas em muitos lugares ao redor do mundo como eRcane, pois o programa tem uma política vigorosa para a troca ou o fornecimento de mudas de variedades.
A Estação Experimental d' essai de la Bretagne foi criada em 1929, por iniciativa da União das Ilhas Reunião Produtores de Açúcar com a finalidade de melhorar as variedades cultivadas. O centro de pesquisas que funciona no local ganhou o nome de eRcane em 2009. Com o foco no desenvolvimento de pesquisas que aumentem o valor da cana, passou a ter uma atuação ampliada na área industrial. 
O Centro é dedicado a melhorar a produtividade no setor de açúcar e de encontrar novas formas de desenvolver o valor econômico da cultura. O programa eRcane é um Grupo de Interesse Económico, cujos membros são as duas empresas de açúcar da Ilha da Reunião: Sucrière de La Réunion (Quartier Français Group) e Sucrerie de Bois Rouge (Grupo Tereos).
Este centro de pesquisas gradualmente diversificou o seu trabalho, desenvolvendo competências para atender às necessidades da indústria do açúcar e do setor agrícola na ilha. Novos departamentos foram acrescentados ao longo dos anos, incluindo o Departamento de Automação Industrial e Eletrônica e o de transformação do açúcar e inovações industriais. Desde 2007 também trabalha em pesquisa sobre biorrefinaria e na difusão de técnicas culturais. Não é à toa que o eRcane tornou-se um centro de desenvolvimento de variedades de renome mundial, com intercâmbio com vários países canavieiros do mundo.
 
PESQUISAS BRASILEIRAS
Além de conhecerem os estudos de ponta que estão sendo realizados em todo o mundo voltados à genética e ao melhoramento, os pesquisadores brasileiros que participaram do workshop semana passada na Ilha da Reunião tiveram a oportunidade de compartilhar um pouco do conhecimento que tem sido desenvolvido no Brasil.
A RIDESA teve três trabalhos científicos aceitos pelo ISSCT, sendo dois considerados de maior destaque, e um escolhido para apresentação oral. Os três estudos foram desenvolvidos pela equipe de melhoramento da RIDESA da UFSCar, juntamente com os profissionais da RIDESA da UFAL (Universidade Federal de Alagoas), em parceira com outras instituições brasileiras. Os trabalhos apresentados foram os seguintes:
• “Seleção para cana-energia na região Nordeste do Brasil”;
• “Diversidade genética e mapeamento associativo para brix em um Painel Brasileiro de genótipos de cana-de-açúcar”;
• “Seleção de genitores baseada em série histórica de experimentos”.
Reunião é o nome de uma pequena ilha do Oceano Índico, que recebeu na semana passada especialistas em cana-de-açúcar de todo o mundo para participarem do “11th Germplasm and Breeding & 8th Molecular Biology Workshops”, promovido pelo ISSCT (International Society of Sugar Cane Technologists).
Cinco pesquisadores da RIDESA (Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroenegético) participaram do evento: Hermann Paulo Hoffmann, Monalisa Sampaio Carneiro, Danilo Eduardo Cursi, João Messias dos Santos e Rodrigo Gazaffi.

Eles aproveitaram para conhecer um pouco mais das pesquisas realizadas na Ilha da Reunião com cana-de-açúcar. Visitaram o programa de melhoramento da eRcane (estação experimental de Vue-Belle e Etang-Salé) e a estação de cruzamentos de La Bretagne.
Nas estações da Ilha da Reunião o melhoramento de cana é direcionado visando a obtenção de variedades adaptadas às condições edafoclimáticas da ilha, que por sinal são bem diferentes das condições encontradas no Brasil. 
No programa de melhoramento de cana desenvolvido na localidade, o desenvolvimento de variedades ocorre em duas fases (hibridação e seleção) e é baseado em pesquisa genética. Para selecionar novas variedades, as equipes da eRcane têm uma grande germoplasma, com parcelas de multiplicação, estufas de hibridação e sete estações experimentais em diferentes partes da ilha. A grande diversidade de solos e microclimas encontrada na Ilha da Reunião ajuda a desenvolver as variedades, que são bem adaptadas para condições muito diferentes. As variedades "R" são atualmente encontradas em muitos lugares ao redor do mundo como eRcane, pois o programa tem uma política vigorosa para a troca ou o fornecimento de mudas de variedades.

 
A Estação Experimental d' essai de la Bretagne foi criada em 1929, por iniciativa da União das Ilhas Reunião Produtores de Açúcar com a finalidade de melhorar as variedades cultivadas. O centro de pesquisas que funciona no local ganhou o nome de eRcane em 2009. Com o foco no desenvolvimento de pesquisas que aumentem o valor da cana, passou a ter uma atuação ampliada na área industrial. 

 
O Centro é dedicado a melhorar a produtividade no setor de açúcar e de encontrar novas formas de desenvolver o valor econômico da cultura. O programa eRcane é um Grupo de Interesse Económico, cujos membros são as duas empresas de açúcar da Ilha da Reunião: Sucrière de La Réunion (Quartier Français Group) e Sucrerie de Bois Rouge (Grupo Tereos).

 
Este centro de pesquisas gradualmente diversificou o seu trabalho, desenvolvendo competências para atender às necessidades da indústria do açúcar e do setor agrícola na ilha. Novos departamentos foram acrescentados ao longo dos anos, incluindo o Departamento de Automação Industrial e Eletrônica e o de transformação do açúcar e inovações industriais. Desde 2007 também trabalha em pesquisa sobre biorrefinaria e na difusão de técnicas culturais. Não é à toa que o eRcane tornou-se um centro de desenvolvimento de variedades de renome mundial, com intercâmbio com vários países canavieiros do mundo.
 
PESQUISAS BRASILEIRAS
Além de conhecerem os estudos de ponta que estão sendo realizados em todo o mundo voltados à genética e ao melhoramento, os pesquisadores brasileiros que participaram do workshop semana passada na Ilha da Reunião tiveram a oportunidade de compartilhar um pouco do conhecimento que tem sido desenvolvido no Brasil.

 
A RIDESA teve três trabalhos científicos aceitos pelo ISSCT, sendo dois considerados de maior destaque, e um escolhido para apresentação oral. Os três estudos foram desenvolvidos pela equipe de melhoramento da RIDESA da UFSCar, juntamente com os profissionais da RIDESA da UFAL (Universidade Federal de Alagoas), em parceira com outras instituições brasileiras. Os trabalhos apresentados foram os seguintes:

 
• “Seleção para cana-energia na região Nordeste do Brasil”;
• “Diversidade genética e mapeamento associativo para brix em um Painel Brasileiro de genótipos de cana-de-açúcar”;
• “Seleção de genitores baseada em série histórica de experimentos”.