atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Pesquisas buscam cana-de-açúcar mais resistente ao frio e à seca

16/07/2014 Cana-de-Açúcar POR: Agência Petrobras
Nos próximos quatro anos, Petrobras e Embrapa estarão juntas na tarefa de desenvolver novas variedades de cana-de-açúcar mais adaptadas ao solo e ao clima temperado, e que tenham maior produtividade, resistência a pragas e tolerância ao frio e à seca. O objetivo é gerar conhecimento para ampliar a produção de etanol no Rio Grande do Sul, estado que importa quase 100% de sua demanda pelo produto.
 
O projeto também tem como meta desenvolver e indicar um modelo de sistema de produção com base em estudos da adubação e épocas de plantio, entre outras condições regionais, e ainda disponibilizar um zoneamento agroclimático da cana sob clima temperado. Esse processo permite minimizar o impacto negativo do clima e, ao mesmo tempo, explorar as suas potencialidades nas distintas regiões de cultivo.
O projeto, aprovado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), será financiado pela Petrobras, com apoio técnico-científico de seu Centro de Pesquisas (Cenpes). A coordenação e a execução do projeto de pesquisa e desenvolvimento serão feitas pelo Centro de Pesquisa Agropecuária de Clima Temperado (Embrapa Clima Temperado), localizado no município de Pelotas (RS)
Nos próximos quatro anos, Petrobras e Embrapa estarão juntas na tarefa de desenvolver novas variedades de cana-de-açúcar mais adaptadas ao solo e ao clima temperado, e que tenham maior produtividade, resistência a pragas e tolerância ao frio e à seca. O objetivo é gerar conhecimento para ampliar a produção de etanol no Rio Grande do Sul, estado que importa quase 100% de sua demanda pelo produto.
 
O projeto também tem como meta desenvolver e indicar um modelo de sistema de produção com base em estudos da adubação e épocas de plantio, entre outras condições regionais, e ainda disponibilizar um zoneamento agroclimático da cana sob clima temperado. Esse processo permite minimizar o impacto negativo do clima e, ao mesmo tempo, explorar as suas potencialidades nas distintas regiões de cultivo.
O projeto, aprovado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), será financiado pela Petrobras, com apoio técnico-científico de seu Centro de Pesquisas (Cenpes). A coordenação e a execução do projeto de pesquisa e desenvolvimento serão feitas pelo Centro de Pesquisa Agropecuária de Clima Temperado (Embrapa Clima Temperado), localizado no município de Pelotas (RS)