atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Prestação de serviços e contas aprovadas

02/04/2019 Noticias do Sistema POR: Revista Canavieiros
Por: Diana Nascimento
 
No dia 14 de fevereiro foi realizada no auditório Fernandes dos Reis, a Assembleia Geral Ordinária da Canaoeste, para apresentação, discussão e aprovação do balanço do relatório da diretoria e parecer do Conselho Fiscal referente ao exercício de 2018.

Em obediência ao disposto no artigo 18, letra "e", do Estatuto Social da Canaoeste, o presidente da associação, Manoel Carlos de Azevedo Ortolan, submeteu à apreciação da assembleia geral ordinária o relatório de atividades social de 2018, que teve início em 1º de janeiro de 2018 e foi encerrado em 31 de dezembro do mesmo ano.

O relatório destacou dois fatores em especial. O primeiro deles foi a produtividade em relação ao problema climático e preço em relação ao mercado. Diante disso, a associação realizou um austero controle que refletiu numa redução de 11% nas despesas, não sendo necessário recorrer à reserva orçamentária destinada aos anos desfavoráveis como os de crise, por exemplo.

O segundo fator, um desafio para toda a equipe da Canaoeste diante dos esforços e trabalhos realizados para tal, foi o reconhecimento da associação como a primeira do Brasil a colocar em prática um programa de monitoramento de incêndios rurais. Validado pelos órgãos públicos ambientais, o programa permite segurança e previsibilidade para o associado contra autos de infração ambiental.

Ortolan salientou também o uso da tecnologia e as novas gerações, visto que a interação humana com dispositivos eletrônicos tornou-se parte imprescindível no dia a dia e ferramenta para a rápida tomada de decisão no campo. "Com os dois mundos em plena atividade, o digital e o analógico, o principal desafio é encontrar o equilíbrio entre eles.

O recurso para essa atualização está muitas vezes, dentro de casa, na próxima geração. Vale lembrar ainda que essas facilidades não irão substituir o básico de cada dia, pois 'o arroz com feijão' que praticamos há décadas deve ser respeitado, já que quem produz é a terra".

Realizada a leitura do relatório, o gestor corporativo da Canaoeste, Almir Torcato, deu sequência, apresentando as atividades da associação por área e departamento.
"Fazer parte da Canaoeste é fazer parte de uma associação calcada na sustentabilidade, que denota respeito ao meio ambiente, responsabilidade social e econômica. Temos que ter a ideia do equilíbrio e fazer as nossas ações para o futuro", disse Torcato.

Para ele, o que os produtores viveram em 2018 tem muito a ver com a economia do país. "Nos últimos anos tivemos um impacto político em relação ao governo que congelou o preço da Petrobras, influenciando diretamente no preço da gasolina que não deu lastro para o etanol subir. Isso faz com que a recuperação do setor seja um pouco mais lenta. Estamos passando por um período economicamente mais instável em relação a preço e produtividade", explicou.
Diante disso, ter um resultado positivo é um grande desafio. "Tivemos que racionalizar alguns custos e fazer mais com menos, colocando a nossa estrutura para atender às necessidades dos associados. Só estará na frente quem conseguir fazer mais com menos", completou Torcato.

A Canaoeste trabalha com três bases: agronômica, jurídica e representatividade política. Todos os serviços oferecidos pela associação passam por este tripé.
Entre a gama de serviços oferecidos estão as soluções integradas, voltadas para a área agrícola que incluem todo o suporte técnico agronômico. Em 2018 foram 11.315 ordens de serviços prestadas.

Em assessoria jurídica e ambiental foram 3.595 atendimentos diretos, enquanto que no departamento técnico jurídico, entre consultas, pareceres técnicos, laudos e outros, foram 665 serviços. A área de geotecnologia prestou 984 serviços.
Somando os serviços de cada área, há um total de 17.865 que, dividido pelo número de associados, resulta em uma média de 7,9 serviços por associado. "Isso significa que estivemos presentes na vida dos associados, ao longo de 2018, quase 8 vezes", destaca Torcato.

O gestor corporativo ressaltou ainda o ganho sistêmico, que muitas vezes não é percebido. "Se pegarmos todas essas ordens de serviço e faturássemos no valor de mercado, daria um montante de quase R$ 40 milhões. No entanto, oferecemos e realizamos os serviços por 1/4 desta quantia. Para cada real investido na associação, são revertidos R$ 4 em serviços", contabilizou.

O monitoramento de incêndios também foi elencado pelo executivo como o principal serviço de 2018, o que demandou o dispêndio de todas as áreas da Canaoeste. Para Torcato, os associados fazem parte de uma associação que faz a diferença no negócio. "Fazer parte de uma associação é ter alguém que defenderá os seus interesses naquilo que é necessário, não apenas oferecer serviços", observou.

Em breve, a Canaoeste irá oferecer aos seus associados um aplicativo, disponibilizando todas as informações da associação. O serviço está em fase de testes e os associados já podem baixá-lo para conhecer e se familiarizar com a nova ferramenta.

Também foi mencionado o Encontro Nova Geração, que visa reunir e preparar os jovens, filhos de associados, que estão iniciando as suas atividades no agronegócio.
Após o relato das atividades da Canaoeste, foi feita a apresentação dos números do balanço através da leitura resumida e simplificada do mesmo pelo contador Marcos Molezin.

Feita a leitura dos números principais do balanço, foi a vez do parecer da auditoria externa ser realizado pelo sócio da ValorUp Auditores Independentes, André Corrêa. De acordo com o parecer, as demonstrações financeiras da associação estão adequadas em todos os aspectos relevantes e de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicadas para pequenas e médias empresas.

Vale lembrar que os documentos contábeis estão disponíveis aos associados para consulta, caso queiram tirar dúvidas ou fazer averiguação dos dados.
O parecer do Conselho Fiscal foi lido pelo conselheiro Paulo Cesar Canesin. Segundo o documento, a demonstração de resultado e o balanço patrimonial do exercício findo de 2018 refletiram fielmente a escrituração das operações realizadas durante o ano, sendo apto para a aprovação pela Assembleia Geral.

Não havendo nenhum questionamento sobre os números e dados apresentados, foi realizada a votação, que aprovou o Relatório de Atividades da Canaoeste 2018.