atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Previsão da safra de cana em MG é revista para 60 milhões de t

02/10/2013 Cana-de-Açúcar POR: Siamig – MG
A moagem de cana em Minas Gerais deve situar em 60 milhões de toneladas, três milhões a mais do que a previsão inicial de 57 milhões de toneladas feita no início de maio. Se esse número se confirmar e as chuvas nos próximos meses não impactarem a colheita será um crescimento de 16% frente a safra passada de 51,7 milhões de toneladas, conforme levantamento realizado pela Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais - Siamig.
De acordo com o economista e Secretário Executivo da entidade, Mário Campos, os fatores para o aumento da produtividade agrícola são o clima adequado, a renovação do canavial, além do aumento de área plantada, ocorrido, principalmente, nas empresas que implantaram usinas nos últimos anos.
De acordo com um levantamento do CTC (Centro de Tecnologia Canavieira), até agosto, a produtividade dos canaviais em Minas Gerais alcançaram 88 toneladas por hectare, cerca de 13% de crescimento sobre as 78 toneladas verificadas no mesmo período no ano passado. Como comparativo, para o Centro-Sul a produtividade média acumulada até agosto foi de 83,7 tc / ha (10,3% de crescimento).
Mas apesar dos bons índices de produtividade da cana alcançada no estado, Mário Campos ressalta que o setor vive um dos piores momentos financeiros de sua história. O governo federal permanece com sua politica de segurar os preços da gasolina, o que deixou o etanol sem competitividade por quase três anos no estado. Além dos preços do açúcar este ano estarem cerca de 15% menores à média da safra passada. Já foram fechadas seis unidades produtoras no Estado (no Brasil mais de 40), com forte impacto econômico nos municípios onde elas estavam localizadas.
Na atual previsão para o estado, permanece mais evidente também que a atual safra será mais alcooleira que a passada, com o percentual de 44,5% da cana destinada para açúcar e 55,5% para etanol. A previsão inicial feita em maio era de um percentual de 48% para açúcar e 52% para etanol.
A produção de açúcar deverá ficar praticamente no mesmo volume da safra passada ou 3,4 milhões de t, e menor em 5,2% do que a previsão inicial de 3,6 milhões de toneladas. Já a produção de etanol na safra 2013/14 deverá situar em 2,6 bilhões de litros ou 31% acima da safra passada de 1,9 bilhões de litros, e 9,2% acima da previsão feita em maio deste ano.
Porém, se as chuvas ajudaram na maior produtividade do canavial, impactou a sacarose (açúcar da cana). O açúcar total recuperável por tonelada de cana (ATR/tC) se mostra menor em 2,9% do que a previsão inicial ou 134 quilos/tc, está também mais baixo em relação a safra passada que ficou em 135 quilos/tc. "Quando chove a tendência é ampliar a produtividade canavial, mas reduzir o teor de açúcar da cana" explica Mário Campos.
Até o dia 16 de setembro, já foram moídas no estado 42,3 milhões de toneladas, um crescimento de 20% sobre a safra passada. A produção de açúcar alcançou 2,28 milhões de toneladas 2,4% acima da produção de 2,23 milhões do mesmo período da safra 2012/13. Já a produção de etanol totalizou 1,82 bilhão de litro, 40% de crescimento sobre a produção da última safra.