atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Produtores de cana de SP reclamam que não conseguem financiamento

26/06/2012 Cana-de-Açúcar POR: Globo Rural
Os donos de uma destilaria em Sertãozinho, nordeste de São Paulo, querem plantar seis mil novos hectares de cana e reformar outros quatro mil. O projeto foi inscrito no novo plano de financiamento do BNDES, em abril, mas até hoje o recurso não saiu.

Para não perder tempo, a destilaria buscou financiamento em bancos particulares.

O plano batizado de Pró Renova foi lançado em janeiro com orçamento de R$ 4 bilhões disponíveis para empréstimos ao médios e grandes produtores de cana de açúcar. Com juros de 8,8% ao ano.

O objetivo do governo é financiar a ampliação ou renovação de mais de mais de um milhão de hectares. Com mais cana no campo, governo prevê também um crescimento na produção de etanol, de dois a quatro bilhões de litros a mais na safra 2013/2014 em comparação com a safra atual.

O problema é que o dinheiro do BNDES não está chegando aos produtores. Até agora, apenas ¼ do total de recursos disponíveis recebeu propostas de financiamento.

Quase seis meses depois do lançamento da linha, o banco liberou apenas R$ 230 milhões, recurso quase todo emprestado para apenas uma empresa do Paraná.

A Unica, que representa as usinas do Centro-Sul do país, explica que além dos critérios do BNDES, que dificultaram o acesso ao Pró-Nova, outros bancos estão oferecendo empréstimos a custos menores.