atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Produtores ganham ânimo com aprovação de subvenção da cana

11/05/2012 Cana-de-Açúcar POR: Tribuna Hoje
A aprovação da MP 554, que trata do financiamento da estocagem do etanol, com a inclusão de uma emenda que garante o pagamento da subvenção de R$ 5 por tonelada de cana para os produtores nordestinos e cariocas, foi comemorada nesta quinta-feira (10) pelo presidente da Associação dos Planadores de Cana de Alagoas (Asplana), Lourenço Lopes. A MP foi aprovada na noite de ontem (9) na Câmara dos Deputados.
Para o presidente da Asplana, trata-se de uma grande vitória. Mas a luta, segundo ele, não acabou, porque a medida provisória ainda precisa ser aprovada no Senado e depois sancionada pela presidente Dilma. A subvenção, relativa à safra 10/11.
Lourenço destaca o apoio da bancada federal de Alagoas e dos parlamentares dos demais estados nordestinos e do Rio de Janeiro para que a emenda fosse aprovada na Câmara. Ele agradeceu, em especial, ao senador Renan Calheiros (PSDB), que negociou a emenda. "Esperamos sua ajuda, também, junto aos senadores Fernando Collor e Benedito de Lira, para a aprovação dessa emenda no Senado e, depois, na sanção da presidente Dilma", disse.
A MP aprovada no Plenário da Câmara permite ao governo criar uma linha de crédito para estocagem de álcool combustível (etanol) com recursos da Cide-Combustíveis. A matéria, na forma do projeto de lei de conversão do deputado Heleno Silva (PRB-SE), será analisada agora pelo Senado.
A linha de crédito já foi criada pela Resolução 4.055/12, do Conselho Monetário Nacional (CMN). O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) poderá emprestar até R$ 2,5 bilhões, enquanto outros bancos federais que operam com recursos da Poupança Rural poderão financiar até R$ 2 bilhões.
Subsídio
O texto do relator traz como novidade a concessão de um subsídio para os produtores de cana-de-açúcar da região da Sudene e do estado do Rio de Janeiro, no valor de R$ 5 por tonelada e limitado a 10 mil toneladas por produtor. O benefício vale para os produtores independentes. A produção própria das unidades agroindustriais e a produção dos consórcios ou de seus acionistas não poderão recebê-lo.
O pagamento será feito diretamente aos produtores pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), com recursos destinados à garantia e à sustentação de preços na comercialização de produtos agropecuários.
Para o superintendente da Conab em Alagoas, Elizeu Rêgo, a MP assegura a continuidade do Programa de Subvenção da Atividade Canavieira e garante o pagamento a 18 mil produtores nordestinos. "Essa é uma política do governo, retomada na safra 2007/2008, de subvenção do preço mínimo para diversas culturas, entre elas, a cana-de-açúcar", lembra o superintendente.
Para aprovação, contudo, os parlamentares consideraram, na opinião de Rêgo, que o incentivo não é um mero benefício aos produtores nordestinos, mas uma necessidade para a manutenção da atividade econômica na região.
"Milhares de produtores aguardavam ansiosos pelo sucesso do pleito", disse o superintendente, agradecendo o apoio dado pelo senador Renan Calheiros que, ainda de acordo com ele, "sempre teve participação efetiva nas conquistas referentes ao setor ao manter um canal aberto para ouvir e encampar a luta desses produtores".
Com a aprovação pelo Senado e sanção presidencial da medida, os fornecedores deverão receber o pagamento do subsídio referente à safra 2010/2011 diretamente em suas contas, entre os meses de junho e julho. "Esses recursos trouxeram novo ânimo aos produtores que reclamam do período marcado pela seca e paralisação das usinas, fator que poderia prejudicar a safra na região", completou Elizeu Rêgo.
A aprovação da MP 554, que trata do financiamento da estocagem do etanol, com a inclusão de uma emenda que garante o pagamento da subvenção de R$ 5 por tonelada de cana para os produtores nordestinos e cariocas, foi comemorada nesta quinta-feira (10) pelo presidente da Associação dos Planadores de Cana de Alagoas (Asplana), Lourenço Lopes. A MP foi aprovada na noite de ontem (9) na Câmara dos Deputados.
Para o presidente da Asplana, trata-se de uma grande vitória. Mas a luta, segundo ele, não acabou, porque a medida provisória ainda precisa ser aprovada no Senado e depois sancionada pela presidente Dilma. A subvenção, relativa à safra 10/11.
Lourenço destaca o apoio da bancada federal de Alagoas e dos parlamentares dos demais estados nordestinos e do Rio de Janeiro para que a emenda fosse aprovada na Câmara. Ele agradeceu, em especial, ao senador Renan Calheiros (PSDB), que negociou a emenda. "Esperamos sua ajuda, também, junto aos senadores Fernando Collor e Benedito de Lira, para a aprovação dessa emenda no Senado e, depois, na sanção da presidente Dilma", disse.
A MP aprovada no Plenário da Câmara permite ao governo criar uma linha de crédito para estocagem de álcool combustível (etanol) com recursos da Cide-Combustíveis. A matéria, na forma do projeto de lei de conversão do deputado Heleno Silva (PRB-SE), será analisada agora pelo Senado.
A linha de crédito já foi criada pela Resolução 4.055/12, do Conselho Monetário Nacional (CMN). O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) poderá emprestar até R$ 2,5 bilhões, enquanto outros bancos federais que operam com recursos da Poupança Rural poderão financiar até R$ 2 bilhões.
Subsídio
O texto do relator traz como novidade a concessão de um subsídio para os produtores de cana-de-açúcar da região da Sudene e do estado do Rio de Janeiro, no valor de R$ 5 por tonelada e limitado a 10 mil toneladas por produtor. O benefício vale para os produtores independentes. A produção própria das unidades agroindustriais e a produção dos consórcios ou de seus acionistas não poderão recebê-lo.
O pagamento será feito diretamente aos produtores pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), com recursos destinados à garantia e à sustentação de preços na comercialização de produtos agropecuários.
Para o superintendente da Conab em Alagoas, Elizeu Rêgo, a MP assegura a continuidade do Programa de Subvenção da Atividade Canavieira e garante o pagamento a 18 mil produtores nordestinos. "Essa é uma política do governo, retomada na safra 2007/2008, de subvenção do preço mínimo para diversas culturas, entre elas, a cana-de-açúcar", lembra o superintendente.
Para aprovação, contudo, os parlamentares consideraram, na opinião de Rêgo, que o incentivo não é um mero benefício aos produtores nordestinos, mas uma necessidade para a manutenção da atividade econômica na região.
"Milhares de produtores aguardavam ansiosos pelo sucesso do pleito", disse o superintendente, agradecendo o apoio dado pelo senador Renan Calheiros que, ainda de acordo com ele, "sempre teve participação efetiva nas conquistas referentes ao setor ao manter um canal aberto para ouvir e encampar a luta desses produtores".
Com a aprovação pelo Senado e sanção presidencial da medida, os fornecedores deverão receber o pagamento do subsídio referente à safra 2010/2011 diretamente em suas contas, entre os meses de junho e julho. "Esses recursos trouxeram novo ânimo aos produtores que reclamam do período marcado pela seca e paralisação das usinas, fator que poderia prejudicar a safra na região", completou Elizeu Rêgo.