atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Rating de respeito

05/06/2020 Noticias do Sistema POR: Marino Guerra

Informações financeiras não faltarão

Conduta financeira coloca Copercana no topo da pirâmide de confiabilidade no mercado

É fato que o cenário político-econômico do país é um dos principais fatores que regulam a comporta do crédito. Problemas nessas duas matérias fazem com que a sirene de alerta toque nas instituições financeiras e o dinheiro comece a sumir da praça.

Um claro exemplo desse efeito está na história recente do Brasil, que em meados de 2016 viveu o pico da maior recessão de sua história, fato reconhecido por grandes nomes da economia local e mundial.

E quando há essa retração, apenas as organizações melhor avaliadas pelas instituições financeiras acabam conseguindo créditos a preços competitivos.

Sabendo dessa realidade, quem conhece a Copercana, principalmente sua importância como ferramenta de financiamento da atividade de seus cooperados, conclui que ela faz parte do grupo dos que têm rating de respeito.

Prova disso é que ao longo da última década, um período das trevas para o setor canavieiro, ela sempre esteve presente levando soluções para o produtor rural conseguir executar o aporte de capital necessário para tocar sua lavoura ou criação.

E essa oferta sempre se intensifica no período do Agronegócios Copercana, o que não será diferente na versão 2020, mesmo com todas as particularidades e barreiras dos tempos atuais.

Para o diretor financeiro, Giovanni Bartoletti Rossanez, o país vinha, principalmente com a agenda reformista do atual governo, oferecendo segurança para as instituições financeiras serem mais flexíveis quanto à política de liberação de crédito, contudo o surgimento da pandemia e com ela vindo mais que uma crise na saúde, mas também problemas político-econômicos, fez com que a obtenção de crédito voltasse a ficar mais restrita, mas, pondera o executivo, em patamares menores que em 2016.

Ao focar na feira, Rossanez informou que a cooperativa vai ofertar soluções de fluxo de pagamento conforme as realidades de cada produtor: “Temos produtores com perfis completamente diferentes um dos outros, têm aqueles que trabalham somente com cana, os que têm lavoura de cana e também cultivam soja em rotação de cultura, há o pessoal do Projeto Amendoim, quem também trabalha com criação, donos da própria terra e os arrendatários. Nossa vantagem é que em decorrência do relacionamento próximo com eles já sabemos as necessidades e assim conseguimos nos adequar antecipadamente para atender da melhor maneira possível”.

O diretor financeiro da Copercana, Giovanni Bartoletti Rossanez, fala sobre a solidez que a cooperativa tem frente aos seus pares do mercado

 Ele ainda antecipou que os cooperados poderão aproveitar para investir em máquinas, implementos, equipamentos e corretivos que terão prazos de pagamento diferenciados.

“Do setor financeiro, o que posso dizer ao cooperado é que nosso relacionamento com as instituições financeiras parceiras continua o melhor possível, isso não apenas porque a Copercana nunca deu motivos de desconfiança, pelo contrário, sempre trabalhou para mostrar da maneira mais clara possível a seriedade de sua gestão, mas também porque o mercado acredita no agro”.

E todos sabem que a crença de quem detém o capital vem apenas com números robustos que comprovem a sustentabilidade econômica.

O que corrobora, pelo menos em parte, no mesmo raciocínio do diretor financeiro da Copercana, que ao realizar exercícios de preços ao longo da safra, sendo bastante conservador, chega no resultado que o desempenho, em termos de faturamento bruto, pode ser bem parecido com o ano passado, e se na temporada, que finalizou apenas 2 meses de vida, vier alguma onda positiva, com certeza haverá crescimento de arrecadação.