Resumo do dia: segunda-feira, dia 3 de maio

03/05/2021 Noticias POR: DA REDAÇÃO

▶ RenovaBio: O cumprimento das metas de descarbonização pelas distribuidoras no programa RenovaBio também poderá ser desafiador do ponto de vista da produção de etanol, especialmente a partir de 2026. Pelo menos é o que aponta a projeção da FG/A. A consultoria estimou o quanto a produção do biocombustível precisa crescer nos próximos anos para dar conta dos objetivos delimitados pelo programa, já considerando o crescimento do etanol de milho e do biodiesel. (Fonte: NovaCana)

▶ Economia: O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de São Paulo desacelerou a alta a 0,44% em abril depois de subir 0,71% no mês anterior, com pressão menor dos custos de Transportes. Os dados divulgados nesta segunda-feira pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) mostraram que a alta dos Transportes foi de 0,61% em abril, de 3,26% em março. (Fonte: Reuters / Texto extraído do portal Money Times)

▶ Soja: Os preços da soja no Brasil devem se manter em nível elevado, segundo análise do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). "A demanda internacional aquecida, que favorece as exportações americanas e brasileiras (os embarques de março foram os maiores da história) e as incertezas sobre a produção argentina devem manter os preços em patamar elevado no Brasil", diz o Ipea em nota de conjuntura sobre Mercados e Preços Agropecuários, que passará a ser publicada trimestralmente. (Fonte: Ipea)

▶ Combustível do futuro: Aprovado pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), o programa Combustível do Futuro traz uma sinalização ao mercado sobre o planejamento energético do governo federal para a descarbonização do setor de transportes. É também uma resposta à tendência mundial de eletrificação da frota. “Nós não podemos ser arrastados por uma tendência global e não aproveitar aquilo que o Brasil tem de grande expertise e grande tecnologia, que são os biocombustíveis e biotecnologia”, disse o secretário de petróleo, gás natural e biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME), José Mauro Coelho. (Fonte: EPBR )