atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Safra da cana-de-açúcar deverá ser estendida em um mês

04/10/2012 Cana-de-Açúcar POR: Jornal A Cidade – Ribeirão Preto/SP
A maioria das usinas e destilarias da região deverá estender a safra entre a primeira e a segunda quinzena de dezembro. Tradicionalmente, a moagem da cana-de-açúcar termina em novembro, mas neste ano será prorrogada em um mês porque haverá matéria-prima a ser processada no período.

A prorrogação decorre do início `atrasado´ da safra. Por conta das chuvas, ao invés de abril a maioria das fábricas começou a moagem em maio. A região possui cerca de 60 usinas e destilarias.

No ano passado, a Usina São Francisco, de Sertãozinho, foi a primeira da região a encerrar o ciclo ainda em setembro. Dessa vez, segundo a assessoria de imprensa, a moagem entrará no último mês do ano.

"Checamos com os grupos do setor e a maioria confirma que a moagem será estendida durante dezembro", diz Sérgio Prado, coordenador regional de comunicação da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica), que representa 146 companhias, responsáveis por 50% do etanol e por 60% do açúcar produzidos no Brasil.

Segundo ele, as condições da safra são boas e a Unica, em suas projeções, estendeu de 509 milhões de toneladas em maio, para 518 milhões em setembro, o total de cana a ser moído pelas unidades da região Centro-Sul do país.


Oferta de cana será maior em 2013, diz a Unica

O horizonte da safra de cana 2012-2013 é repleto de projeções positivas, segundo Sérgio Prado, da Unica. Segundo ele, não é possível estimar volumes de cana para o próximo ano, porque ainda tem muita matéria-prima a ser processada até dezembro.

"Mas tudo indica que a próxima safra será ainda melhor que a atual", afirma. Os motivos, explica, é que haverá mais cana, fruto da renovação de canaviais. A capacidade das usinas e destilarias do Centro-Sul é de 600 milhões de toneladas, e como o atual ciclo deve fechar em pouco mais de 518 milhões, a diferença pode ser reposta em 2013, o que anima a indústria a operar a plena carga.