atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Safra de cana 2013/14 em Goiás deve crescer para 58 mi de toneladas

17/05/2013 Cana-de-Açúcar POR: Agência Estado
Goiás deve produzir 58 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2013/14, que foi aberta oficialmente nesta sexta-feira no Estado. Em entrevista ao Broadcast, o serviço em tempo real da Agência Estado, o assessor técnico para cana e bioenergia da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), Alexandro Alves, disse que o volume é 11,5% superior aos 52 milhões de toneladas do último ciclo.
A produção de açúcar está estimada em 2 milhões de toneladas, 13% menor do que os 2,3 milhões de 2012/13. A de etanol deve aumentar em 9,3%, de 3,2 bilhões para 3,5 bilhões de litros. Segundo Alves, 72% da oferta de cana será destinada à fabricação do biocombustível, porcentual semelhante ao da safra passada.
Os números foram apresentados durante a inauguração da Usina Cambuí, em Santa Helena de Goiás, que recebeu investimentos de R$ 165 milhões e terá capacidade inicial de moagem de 850 mil toneladas.
Ao todo, 37 unidades processarão cana na temporada. Todas produzem etanol e 14 produzem etanol e açúcar, disse o assessor técnico da Faeg. De acordo com ele, o Estado irá ´brigar´ com Minas Gerais pelo segundo lugar em moagem de cana no País - São Paulo lidera. ´Se ficarmos em terceiro, vai ser por coisa mínima. Tudo vai depender das condições climáticas.´ 
Goiás deve produzir 58 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2013/14, que foi aberta oficialmente nesta sexta-feira no Estado. Em entrevista ao Broadcast, o serviço em tempo real da Agência Estado, o assessor técnico para cana e bioenergia da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), Alexandro Alves, disse que o volume é 11,5% superior aos 52 milhões de toneladas do último ciclo.
A produção de açúcar está estimada em 2 milhões de toneladas, 13% menor do que os 2,3 milhões de 2012/13. A de etanol deve aumentar em 9,3%, de 3,2 bilhões para 3,5 bilhões de litros. Segundo Alves, 72% da oferta de cana será destinada à fabricação do biocombustível, porcentual semelhante ao da safra passada.
Os números foram apresentados durante a inauguração da Usina Cambuí, em Santa Helena de Goiás, que recebeu investimentos de R$ 165 milhões e terá capacidade inicial de moagem de 850 mil toneladas.
Ao todo, 37 unidades processarão cana na temporada. Todas produzem etanol e 14 produzem etanol e açúcar, disse o assessor técnico da Faeg. De acordo com ele, o Estado irá ´brigar´ com Minas Gerais pelo segundo lugar em moagem de cana no País - São Paulo lidera. ´Se ficarmos em terceiro, vai ser por coisa mínima. Tudo vai depender das condições climáticas.´