atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Safra em Goiás terá volta da Usina São Simão

26/03/2015 Cana-de-Açúcar POR: JornalCana
A Usina CerradinhoBio foi a primeira a iniciar a safra 2015/16 em Goiás, como tem feito nos últimos anos. Mas André Rocha, presidente-executivo do Sindicato da Indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás (Sifaeg), explica que a maioria das unidades começará a moer em abril. Confira mais na entrevista abaixo, concedida durante o F.O. Licht Sugar & Ethanol, na capital paulista.
Quantas unidades de Goiás irão moer na 15/16?
Trinta e oito. Novamente, teremos uma hibernada, localizada no município de Montividiu, que já não tinha moído em 2014. Em compensação, a Energética São Simão, que ficou sem moer na safra passada, voltará a moer este ano.
O volume de cana a ser moída crescerá ante a safra 14/15?
Deveremos ter um crescimento de moagem, mas estamos finalizando os números. Fazemos uma apuração diferente da safra. Além dos questionários [enviados para as unidades], que já recebemos, temos as imagens por satélites e as informações do CTC sobre aumento de produtividade. Essa terceira etapa deveremos concluir nesta quinta-feira (25/03). E, assim, na próxima semana teremos os números de projeção da safra 15/16 em Goiás.
Quando a safra 15/16 deverá estar em plena moagem?
Normalmente o grosso das unidades começa na segunda quinzena de abril, com dois terços do total delas. As demais irão moer a partir de maio.
A safra 15/16 em Goiás também será mais alcooleira, como é a previsão nos demais estados sucroenergéticos?
Com certeza, como sempre tem sido. Na safra 13/14, 76% do mix foi etanol. Na safra 14/15, foram 77%. E na 15/16 deverá ser seguido esse perfil. Aliás, por perfil e logística do estado. E [a safra mais alcooleira] é agravada mais por conta do açúcar [em queda no mercado internacional]. Temos mais destilarias do que usinas em Goiás, até porque foi essa a concepção em termos logísticos. Temos o duto de etanol, que já está em Uberaba (MG), já temos mais ferrovias cortando o estado, e a própria condição do mercado de açúcar não estimula sua produção.
Como é a distribuição do etanol feito em Goiás?
Goiás é o segundo maior produtor de etanol do Brasil. Fazemos 4 bilhões de litros. Atendemos 100% do mercado consumidor de Goiás e 70% da produção vai para outros estados. Somos um grande provedor de etanol. Devemos também enviar muito etanol para Minas Gerais, por conta da redução do ICMS sobre o hidratado, e também sempre formos grandes provedores de etanol para o Nordeste. Agora, deveremos concentrar mais as vendas de etanol nos estados de São Paulo e de Minas Gerais.
 
A Usina CerradinhoBio foi a primeira a iniciar a safra 2015/16 em Goiás, como tem feito nos últimos anos. Mas André Rocha, presidente-executivo do Sindicato da Indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás (Sifaeg), explica que a maioria das unidades começará a moer em abril. Confira mais na entrevista abaixo, concedida durante o F.O. Licht Sugar & Ethanol, na capital paulista.
Quantas unidades de Goiás irão moer na 15/16?
Trinta e oito. Novamente, teremos uma hibernada, localizada no município de Montividiu, que já não tinha moído em 2014. Em compensação, a Energética São Simão, que ficou sem moer na safra passada, voltará a moer este ano.
O volume de cana a ser moída crescerá ante a safra 14/15?
Deveremos ter um crescimento de moagem, mas estamos finalizando os números. Fazemos uma apuração diferente da safra. Além dos questionários [enviados para as unidades], que já recebemos, temos as imagens por satélites e as informações do CTC sobre aumento de produtividade. Essa terceira etapa deveremos concluir nesta quinta-feira (25/03). E, assim, na próxima semana teremos os números de projeção da safra 15/16 em Goiás.
Quando a safra 15/16 deverá estar em plena moagem?
Normalmente o grosso das unidades começa na segunda quinzena de abril, com dois terços do total delas. As demais irão moer a partir de maio.
A safra 15/16 em Goiás também será mais alcooleira, como é a previsão nos demais estados sucroenergéticos?
Com certeza, como sempre tem sido. Na safra 13/14, 76% do mix foi etanol. Na safra 14/15, foram 77%. E na 15/16 deverá ser seguido esse perfil. Aliás, por perfil e logística do estado. E [a safra mais alcooleira] é agravada mais por conta do açúcar [em queda no mercado internacional]. Temos mais destilarias do que usinas em Goiás, até porque foi essa a concepção em termos logísticos. Temos o duto de etanol, que já está em Uberaba (MG), já temos mais ferrovias cortando o estado, e a própria condição do mercado de açúcar não estimula sua produção.
Como é a distribuição do etanol feito em Goiás?
Goiás é o segundo maior produtor de etanol do Brasil. Fazemos 4 bilhões de litros. Atendemos 100% do mercado consumidor de Goiás e 70% da produção vai para outros estados. Somos um grande provedor de etanol. Devemos também enviar muito etanol para Minas Gerais, por conta da redução do ICMS sobre o hidratado, e também sempre formos grandes provedores de etanol para o Nordeste. Agora, deveremos concentrar mais as vendas de etanol nos estados de São Paulo e de Minas Gerais.