atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Safra 2014/15 do grupo São Martinho vai aumentar 5%

03/12/2013 Cana-de-Açúcar POR: Valor

Em apresentação ontem a investidores, o grupo sucroalcooleiro São Martinho informou que em 2014/15 terá uma capacidade de moagem de 17 milhões de toneladas em suas usinas e que tem volume de cana-de-açúcar disponível para ocupar em torno de 95% dessa capacidade. Assim, o potencial de moagem do grupo no próximo ciclo seria algo próximo de 16,150 milhões de toneladas da matéria-prima.
"Pela quantidade de matéria-prima disponível, temos condição de alcançar esse nível de ocupação da indústria com tranquilidade", afirmou o diretor-financeiro e de relações com investidores da companhia, Felipe Vicchiato.
Se o número se confirmar, será um aumento de moagem de 5,55% em relação à atual safra, a 2013/14. O grupo, que controla duas usinas em São Paulo e tem participação em outras duas, deve processar na atual temporada em torno de 15,3 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, produzir 996 mil toneladas de açúcar, 419 milhões de litros de etanol anidro e 225 milhões de litros de etanol hidratado.
Segundo informações divulgadas pela empresa, nos últimos quatro anos, o grupo investiu perto de R$ 1 bilhão para elevar a capacidade instalada de 9 milhões de toneladas em 2006/07 para 17 milhões de toneladas em 2014/15.
A maior parte do crescimento ocorreu por aquisições e ampliação de usinas já existentes. "O crescimento foi realizado com Capex menor que o equivalente a US$ 60 por tonelada de cana de capacidade ao longo dos últimos oito anos", disse.
O maior aumento de moagem na próxima temporada, segundo o executivo, virá do efeito da aquisição, no fim de 2012, dos ativos biológicos (canaviais) da Usina São Carlos, que pertenciam à Biosev, empresa sucroalcooleira da Louis Dreyfus. Como parte do acordo, no ciclo atual, o 2013/14, a São Martinho vendeu à Biosev 1 milhão de toneladas de cana vinda desses canaviais. Mas em 2014/15, esse volume de matéria-prima será direcionada à unidade São Martinho, em Pradópolis (SP).
No trimestre encerrado em 30 de setembro, equivalente ao segundo trimestre da safra 2013/14, o grupo São Martinho informou que seu lucro líquido cresceu 20,5%, para R$ 60,9 milhões. No acumulado dos dois trimestres do ciclo, a companhia teve resultado líquido positivo de R$ 95,6 milhões, crescimento de 80,7%.

Em apresentação ontem a investidores, o grupo sucroalcooleiro São Martinho informou que em 2014/15 terá uma capacidade de moagem de 17 milhões de toneladas em suas usinas e que tem volume de cana-de-açúcar disponível para ocupar em torno de 95% dessa capacidade. Assim, o potencial de moagem do grupo no próximo ciclo seria algo próximo de 16,150 milhões de toneladas da matéria-prima.

"Pela quantidade de matéria-prima disponível, temos condição de alcançar esse nível de ocupação da indústria com tranquilidade", afirmou o diretor-financeiro e de relações com investidores da companhia, Felipe Vicchiato.

Se o número se confirmar, será um aumento de moagem de 5,55% em relação à atual safra, a 2013/14. O grupo, que controla duas usinas em São Paulo e tem participação em outras duas, deve processar na atual temporada em torno de 15,3 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, produzir 996 mil toneladas de açúcar, 419 milhões de litros de etanol anidro e 225 milhões de litros de etanol hidratado.

Segundo informações divulgadas pela empresa, nos últimos quatro anos, o grupo investiu perto de R$ 1 bilhão para elevar a capacidade instalada de 9 milhões de toneladas em 2006/07 para 17 milhões de toneladas em 2014/15.

A maior parte do crescimento ocorreu por aquisições e ampliação de usinas já existentes. "O crescimento foi realizado com Capex menor que o equivalente a US$ 60 por tonelada de cana de capacidade ao longo dos últimos oito anos", disse.

O maior aumento de moagem na próxima temporada, segundo o executivo, virá do efeito da aquisição, no fim de 2012, dos ativos biológicos (canaviais) da Usina São Carlos, que pertenciam à Biosev, empresa sucroalcooleira da Louis Dreyfus. Como parte do acordo, no ciclo atual, o 2013/14, a São Martinho vendeu à Biosev 1 milhão de toneladas de cana vinda desses canaviais. Mas em 2014/15, esse volume de matéria-prima será direcionada à unidade São Martinho, em Pradópolis (SP).

No trimestre encerrado em 30 de setembro, equivalente ao segundo trimestre da safra 2013/14, o grupo São Martinho informou que seu lucro líquido cresceu 20,5%, para R$ 60,9 milhões. No acumulado dos dois trimestres do ciclo, a companhia teve resultado líquido positivo de R$ 95,6 milhões, crescimento de 80,7%.