atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Seca derruba produtividade e moagem da cana no começo de julho

25/07/2014 Cana-de-Açúcar POR: Folha de S. Paulo
A forte estiagem reduziu a quantidade de cana-de-açúcar colhida na região centro-sul do país e afetou a moagem para produção de etanol e açúcar na primeira quinzena de julho, segundo a Única (União da Indústria da Cana-de-Açúcar).
De acordo com dados do CTC (Centro de Tecnologia Canavieira), a quebra agrícola na safra atual (2014/2015) é de 6,1%. Em junho, foram colhidas 79,3 toneladas de cana-de-açúcar por hectare - queda de 4,10% frente ao mesmo mês do ano anterior.
Na primeira quinzena de julho, a moagem nas usinas da região totalizou 41,33 milhões de toneladas -6,44% inferior às 44,17 milhões de toneladas moídas na quinzena anterior e 3,88% menor quando comparado à primeira metade de julho de 2013 (42,99 milhões de toneladas).
Por meio da assessoria, o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, afirmou que a expectativa é que a redução na produtividade se acentue nos próximos meses, devido à colheita da cana com menos de 12 meses e de áreas mais afetadas pela seca prolongada.
Sobre a queda na moagem das usinas, Rodrigues afirmou que as principais causas foram as "chuvas no sul do Estado de São Paulo, no norte do Paraná e em boa parte do Mato Grosso do Sul, além de manutenção industrial programada e da redução do ritmo de moagem em várias unidades produtoras devido à menor oferta de cana."
No acumulado desde o início da safra 2014/2015 até 16 de julho, a moagem alcançou 244,38 milhões de toneladas, crescimento de 8,26% em relação àquela verificada no mesmo período do último ano (225,73 milhões de toneladas).
PRODUÇÃO
Da quantidade total de cana moída na primeira quinzena de julho, 46,38% destinou-se à produção de açúcar, percentual um pouco maior ao registrado no mesmo período do ano passado (45,46%).
Em relação ao etanol, o volume produzido alcançou 1,81 bilhão de litros na primeira metade de julho, aumento de 1,68% sobre o mesmo período da safra passada.
A forte estiagem reduziu a quantidade de cana-de-açúcar colhida na região centro-sul do país e afetou a moagem para produção de etanol e açúcar na primeira quinzena de julho, segundo a Única (União da Indústria da Cana-de-Açúcar).
De acordo com dados do CTC (Centro de Tecnologia Canavieira), a quebra agrícola na safra atual (2014/2015) é de 6,1%. Em junho, foram colhidas 79,3 toneladas de cana-de-açúcar por hectare - queda de 4,10% frente ao mesmo mês do ano anterior.
Na primeira quinzena de julho, a moagem nas usinas da região totalizou 41,33 milhões de toneladas -6,44% inferior às 44,17 milhões de toneladas moídas na quinzena anterior e 3,88% menor quando comparado à primeira metade de julho de 2013 (42,99 milhões de toneladas).
Por meio da assessoria, o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, afirmou que a expectativa é que a redução na produtividade se acentue nos próximos meses, devido à colheita da cana com menos de 12 meses e de áreas mais afetadas pela seca prolongada.
Sobre a queda na moagem das usinas, Rodrigues afirmou que as principais causas foram as "chuvas no sul do Estado de São Paulo, no norte do Paraná e em boa parte do Mato Grosso do Sul, além de manutenção industrial programada e da redução do ritmo de moagem em várias unidades produtoras devido à menor oferta de cana."
No acumulado desde o início da safra 2014/2015 até 16 de julho, a moagem alcançou 244,38 milhões de toneladas, crescimento de 8,26% em relação àquela verificada no mesmo período do último ano (225,73 milhões de toneladas).
PRODUÇÃO
Da quantidade total de cana moída na primeira quinzena de julho, 46,38% destinou-se à produção de açúcar, percentual um pouco maior ao registrado no mesmo período do ano passado (45,46%).
Em relação ao etanol, o volume produzido alcançou 1,81 bilhão de litros na primeira metade de julho, aumento de 1,68% sobre o mesmo período da safra passada.