atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Sphenophorus voa curto, mas caminha a 80 quilômetros por hora

18/07/2014 Cana-de-Açúcar POR: Assessoria de imprensa do Grupo IDEA
O Sphenophorus levis, o popular bicudo da cana, a praga que está provocando estragos no canavial, tem uma capacidade de voo restrita - máxima de 300m, o deslocamento do macho é de três metros por dia e da fêmea de cinco metros -, sugerindo que a dispersão do inseto a longas distâncias dá-se através das mudas retiradas de local infestado e transportadas por caminhão, por isso, dizem que o Sphenophorus voa curto, mas caminha a 80 quilômetros por hora.
O principal motivo da infestação foi a utilização de mudas sem procedência. A praga é de difícil controle e quando a infestação é intensa é preciso eliminar a soqueira, através de uma aração nas linhas de plantio, procurando revolver os restos culturais e expor as larvas à ação dos raios solares e inimigos naturais. Cerca de 2 a 3 semanas após, complementa-se essa operação com enxada rotativa para triturar e acelerar a seca do material. Duas semanas depois, faz-se o preparo normal do solo. 
O certo é triturar a soqueira utilizando o eliminador de soqueiras. Já há usinas que passaram a utilizar esse equipamento rotineiramente não só para o Sphenophorus, mas também para nematoides, por exemplo. A época correta para renovar as áreas é de junho a setembro, período em que as larvas estão devorando a cana. Após a área limpa, realiza-se o plantio, obviamente com mudas sadias.
Para que não precise chegar ao ponto de erradicar o canavial, você não pode perder o 10o INSECTSHOW - Seminário Sobre Controle de Pragas da Cana, realizado pelo Grupo IDEA e que acontece nos dias 23 e 24 de julho em Ribeirão Preto, e que trará as mais importantes informações para prevenção e controle do Sphenophorus. 
Inscrições no site: http://www.ideaonline.com.br/evento-sobre/10-insectshow
Tudo o que precisa saber para se prevenir ou controlar essa praga.
Luciana Paiva
O Sphenophorus levis, o popular bicudo da cana, a praga que está provocando estragos no canavial, tem uma capacidade de voo restrita - máxima de 300m, o deslocamento do macho é de três metros por dia e da fêmea de cinco metros -, sugerindo que a dispersão do inseto a longas distâncias dá-se através das mudas retiradas de local infestado e transportadas por caminhão, por isso, dizem que o Sphenophorus voa curto, mas caminha a 80 quilômetros por hora.
O principal motivo da infestação foi a utilização de mudas sem procedência. A praga é de difícil controle e quando a infestação é intensa é preciso eliminar a soqueira, através de uma aração nas linhas de plantio, procurando revolver os restos culturais e expor as larvas à ação dos raios solares e inimigos naturais. Cerca de 2 a 3 semanas após, complementa-se essa operação com enxada rotativa para triturar e acelerar a seca do material. Duas semanas depois, faz-se o preparo normal do solo. 
O certo é triturar a soqueira utilizando o eliminador de soqueiras. Já há usinas que passaram a utilizar esse equipamento rotineiramente não só para o Sphenophorus, mas também para nematoides, por exemplo. A época correta para renovar as áreas é de junho a setembro, período em que as larvas estão devorando a cana. Após a área limpa, realiza-se o plantio, obviamente com mudas sadias.
Para que não precise chegar ao ponto de erradicar o canavial, você não pode perder o 10o INSECTSHOW - Seminário Sobre Controle de Pragas da Cana, realizado pelo Grupo IDEA e que acontece nos dias 23 e 24 de julho em Ribeirão Preto, e que trará as mais importantes informações para prevenção e controle do Sphenophorus. 
Inscrições no site: http://www.ideaonline.com.br/evento-sobre/10-insectshow
Tudo o que precisa saber para se prevenir ou controlar essa praga.
Luciana Paiva