atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Syngenta inaugura biofábrica de US$ 100 milhões em Itápolis com apoio da Investe SP

14/06/2012 Cana-de-Açúcar POR: Assessoria de Imprensa Investe SP
O Estado de São Paulo passa a sediar, a partir desta quarta-feira, 13 de junho, uma das maiores biofábricas do mundo. A Syngenta acaba de inaugurar, em Itápolis, cidade localizada a 365 quilômetros da capital do Estado, a primeira unidade destinada a produzir 3,6 milhões de mudas de cana-de-açúcar batizadas de Plene.
 
“A inauguração da biofábrica da Syngenta consolida o Estado de São Paulo como o maior polo sucroalcooleiro do País, responsável por 60% do setor, pelos principais institutos de pesquisa e também pela tecnologia de toda a cadeia”, afirma o presidente da Investe São Paulo, Luciano Almeida.
 
A tecnologia Plene é inovadora e foi desenvolvida no Brasil pela Syngenta para simplificar o processo de plantio ao oferecer mudas tratadas contra doenças e pragas. As mudas têm aproximadamente 5 centímetros de comprimento e representam uma evolução em relação ao sistema convencional, em que a cana é plantada com mudas de 40 a 50 centímetros. O plantio é feito por meio de máquinas menores e mais leves que as convencionais, o que promove uma menor compactação do solo, além de reduzir o consumo de biodiesel e facilitar o plantio direto nessa cultura.
 
“Entendemos que os desafios para o aumento da produtividade são vários. Somente com a integração de tecnologias e conhecimento poderemos trazer à cana um salto produtivo e sustentável e a Plene é uma das respostas para isso”, disse o diretor global de cana-de-açúcar da Syngenta, Daniel Bachner. O potencial de receita da Plene é de US$ 500 milhões. “Trata-se de um dos principais projetos da Syngenta no mundo, e o mais importante em toda a América Latina”, completa Bachner.
            
Instalada em uma área de 480 mil m², a nova unidade resulta de um investimento de US$ 100 milhões e vai gerar 200 empregos diretos na região, chegando a 1,1 mil diretos e indiretos no período da safra. As 36 máquinas em operação atualmente produzem 400 toletes de Plene por segundo, prontos para plantio. A produção é automatizada, desde a limpeza da cana-de-açúcar até o corte dos toletes e a aplicação dos defensivos. Em função da receptividade e crescente demanda pela tecnologia, a Syngenta anunciou, durante o evento de inauguração, que planeja investir na duplicação da estrutura e da capacidade produtiva da fábrica.
 
A Investe São Paulo assessora a empresa desde maio de 2011 e articulou – junto à Secretaria Estadual de Logística e Transportes e à Agência Reguladora de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) – a construção de um acesso rodoviário à nova unidade. “Ao contribuir para que as empresas consigam realizar seus investimentos no Estado com sucesso, realizando a articulação entre o setor privado e o setor público, a Investe SP colabora para o aumento da competitividade da economia paulista”, explica o gerente geral de Relações Institucionais e Internacionais da agência, Wilson Soares.
 
Segundo o presidente da Investe SP, a instalação da fábrica em Itápolis dará um impulso na economia local. “O município possui IPRS 3, o que transforma o investimento da empresa em uma ferramenta de desenvolvimento para toda a população da região noroeste do Estado”, destacou. Elaborado pela Fundação Seade, o Índice Paulista de Responsabilidade Social (IPRS) ordena os 645 municípios do Estado de São Paulo de acordo com três dimensões: renda, escolaridade e longevidade. Os municípios classificados no grupo 3 se caracterizam com nível de riqueza baixo, mas apresentam bons indicadores nas demais dimensões.
 
Inovação em economia verde e biotecnologia
A biofábrica da Syngenta é uma das maiores do mundo. Ocupa 10 mil m², divididos entre o laboratório e as estufas. Destino de US$ 15 milhões do total investido pela Syngenta em Itápolis, a biofábrica adotou processos até então inéditos no agronegócio.
 
Foi na indústria farmacêutica que a Syngenta encontrou uma forma apropriada para manter a unidade livre de contaminação. O sistema de tratamento do ar empregado no local garante apenas sua saída do ambiente, nunca permitindo que o ar entre do exterior por portas ou janelas A contaminação aérea também é evitada entre os ambientes internos. Cada cômodo da biofábrica é isolado do outro por câmaras.
 
Outra solução que a Syngenta trouxe da indústria farmacêutica foi o leitor de códigos de barra, que permite, de forma bastante simples, garantir a rastreabilidade de toda sua produção. Dessa forma, cada carregamento que deixa a fábrica rumo ao produtor possui um clone na biofábrica, que tem seu desenvolvimento permanentemente acompanhado.
 
Para atender à demanda pelo Plene, a biofábrica acelera o crescimento das mudas, de um ano e meio para 9 meses, em câmaras aquecidas e umidificadas. É o caso de uma das estufas que, pelo “fog”, parece, à distância, com o interior de um frigorífico quando, na verdade, a temperatura supera os 45ºC e a umidade do ar atinge os 90%. Para mais informações, visite http://www.syngentaemitapolis.com.br
 
Sobre a Investe SP
A Investe São Paulo – Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade – é a porta de entrada das empresas que pretendem se instalar no Estado, além de estimular a expansão de empreendimentos que já estão em São Paulo. A agência fornece, gratuitamente, informações estratégicas que ajudam os investidores a encontrar os melhores locais para os seus negócios e articula o contato das empresas com órgãos públicos e privados.
 
A agência possui neste momento 62 projetos em carteira, que contabilizam um potencial de investimento de R$ 17 bilhões, com capacidade de gerar cerca de 40 mil empregos diretos. O trabalho da Investe SP contribuiu, até o momento, para que 25 empresas invistam R$ 11,5 bilhões na construção de suas fábricas no Estado, empregando mais de 20,8 mil trabalhadores. Toyota, Hyundai, Chery, Vale, Gerdau, AGC são algumas das empresas que foram assessoradas pela agência na realização de seus empreendimentos em solo paulista.