atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Tereos teve prejuízo de R$ 96 milhões no 2º tri

13/11/2015 Cana-de-Açúcar POR: Valor Econômico
Em mais um trimestre de desafios operacionais e financeiros, a Tereos Internacional, que detém operações de amidos e cana­de­açúcar principalmente na Europa e no Brasil, registrou nos três meses encerrados em 30 de setembro, equivalente ao 2º trimestre de 2015/16, um prejuízo líquido atribuível a acionistas controladores de R$ 96 milhões, ante a perda líquida de R$ 2 milhões de igual trimestre do ano passado.
A companhia, controladora da sucroalcooleira Guarani, foi afetada por uma despesa financeira líquida de R$ 105 milhões, R$ 40 milhões acima da registrada em igual trimestre do ano passado (R$ 65 milhões).
Em igual comparação, a Tereos Internacional teve uma receita líquida 21% maior, de R$ 2,4 bilhões, e um custo de vendas 23% superior, de R$ 2 bilhões. Da receita total, R$ 561 milhões vieram da operação de açúcar e etanol no Brasil, queda de 2,3% frente a igual trimestre de 2014.
A desvalorização do real frente a outras moedas contribuiu para o aumento do endividamento da companhia. Em 30 de setembro, a dívida bruta da Tereos Internacional havia atingido R$ 7,5 bilhões, 42% acima da registrada no início do anofiscal, em 31 de março. Desse total, R$ 6,3 bilhões ­ ou 84%, estão denominados em moeda estrangeira.
No primeiro semestre da safra ­ entre abril e setembro deste ano ­ a Tereos pagou R$ 143 milhões em juros, ante os R$ 135 milhões de igual período de 2014. No mesmo intervalo, a companhia registrou prejuízo líquido de R$ 338 milhões, contra a perda líquida de R$ 75 milhões de igual intervalo do ciclo anterior. 
Em mais um trimestre de desafios operacionais e financeiros, a Tereos Internacional, que detém operações de amidos e cana­de­açúcar principalmente na Europa e no Brasil, registrou nos três meses encerrados em 30 de setembro, equivalente ao 2º trimestre de 2015/16, um prejuízo líquido atribuível a acionistas controladores de R$ 96 milhões, ante a perda líquida de R$ 2 milhões de igual trimestre do ano passado.
A companhia, controladora da sucroalcooleira Guarani, foi afetada por uma despesa financeira líquida de R$ 105 milhões, R$ 40 milhões acima da registrada em igual trimestre do ano passado (R$ 65 milhões).
Em igual comparação, a Tereos Internacional teve uma receita líquida 21% maior, de R$ 2,4 bilhões, e um custo de vendas 23% superior, de R$ 2 bilhões. Da receita total, R$ 561 milhões vieram da operação de açúcar e etanol no Brasil, queda de 2,3% frente a igual trimestre de 2014.
A desvalorização do real frente a outras moedas contribuiu para o aumento do endividamento da companhia. Em 30 de setembro, a dívida bruta da Tereos Internacional havia atingido R$ 7,5 bilhões, 42% acima da registrada no início do anofiscal, em 31 de março. Desse total, R$ 6,3 bilhões ­ ou 84%, estão denominados em moeda estrangeira.
No primeiro semestre da safra ­ entre abril e setembro deste ano ­ a Tereos pagou R$ 143 milhões em juros, ante os R$ 135 milhões de igual período de 2014. No mesmo intervalo, a companhia registrou prejuízo líquido de R$ 338 milhões, contra a perda líquida de R$ 75 milhões de igual intervalo do ciclo anterior.