atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Uname destina 114 toneladas de embalagens vazias de defensivos agrícolas em 2016

10/03/2017 Noticias do Sistema POR: Fernanda Clariano, Revista Canavieiros – edição 128
Acreditando que, se cada cooperativa incentivar as práticas socialmente responsáveis será possível transformar a sociedade e o meio ambiente, a Copercana, por meio da Uname (Unidade de Grãos), mantém um depósito para receber embalagens vazias de agrotóxicos dos cooperados de Sertãozinho-SP e das filiais.
O depósito da cooperativa, com 300 m² consegue armazenar 25 toneladas de embalagens. “Quando recolhemos e damos um destino correto às embalagens vazias de agrotóxicos, estamos contribuindo com o meio ambiente e conscientizando os colaboradores”, disse o chefe de comercialização de defensivos e fertilizantes da Uname, Altair Luiz Porcionato.
Os materiais recolhidos são encaminhados para uma Central de Recebimento de Embalagens Vazias de Defensivos Agrícolas, situada na cidade de Araraquara-SP, a Associação das Revendas de Insumos Agrícolas de Araraquara e Região. Para as outras filiais, a Copercana tem convênio com postos de recebimentos nas cidades onde estão alocadas.
Por meio desse trabalho, desde 2002, a Uname já destinou de modo ambientalmente correto 1.083 toneladas de embalagens vazias de agrotóxicos utilizadas pelos seus cooperados. Só em 2016, foram destinadas 114 toneladas, número que indica um crescimento de 11,7% em relação a 2015, que foi de 102 toneladas.
Outra questão muito importante é a do armazenamento dos defensivos. Em 2016, a Copercana finalizou as obras da Central de Distribuição de Defensivos
Agrícolas, com área de 5.530 m². 
“A Central de Distribuição de Defensivos Agrícolas conta com capacidade de armazenagem de produtos de aproximadamente 8 mil toneladas e com a ferramenta de gestão W.M.S., que organiza todos os produtos colocados na central como: validade, classe de produtos e seus respectivos lotes de fabricação. Com isso, temos uma maior segurança no manuseio dos produtos, além da aquisição dos equipamentos de última geração que contribuem no dia a dia dos colaboradores que trabalham diretamente em contato com estes produtos e favorece um melhor atendimento aos nossos cooperados”, destacou o gerente comercial de Insumos da Copercana, Frederico Dalmaso.
Dados do inpEV
 
De acordo com o inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias) em 2016 foram retirados dos campos brasileiros 44.528 toneladas de embalagens vazias de agrotóxicos que tiveram sua destinação feita de forma correta, uma queda de 2,2% na quantidade destinada em 2015.
A redução no consumo de defensivos agrícolas, em 2016, foi provocada por fatores como alterações climáticas (excesso de chuvas na região Sul e seca na região Centro-Oeste e no Matopiba), expansão do plantio da variedade de soja Intacta, que reduz a aplicação de produto, e aumento do contrabando de agrotóxicos. Tais fatores geraram menos embalagens.
Sistema Campo Limpo
 
O Sistema Campo Limpo tem como base o princípio das responsabilidades compartilhadas entre todos os elos da cadeia produtiva (agricultores, fabricantes
e canais de distribuição, com apoio do poder público) para realizar a logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas. O Brasil é referência mundial na destinação ambientalmente correta do material, encaminhando 94% de embalagens plásticas primárias para reciclagem ou incineração.
Os estados de Rondônia, Sergipe e Tocantins obtiveram maior crescimento percentual na quantidade destinada. Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Goiás mantiveram os percentuais retirados nos anos anteriores e foram responsáveis pelos maiores volumes em números absolutos.
A quantidade de embalagens vazias destinadas de forma ambientalmente correta em 2016 fez com que o Sistema Campo Limpo superasse a marca de 410 mil toneladas, desde o início das operações, em 2002.
Acreditando que, se cada cooperativa incentivar as práticas socialmente responsáveis será possível transformar a sociedade e o meio ambiente, a Copercana, por meio da Uname (Unidade de Grãos), mantém um depósito para receber embalagens vazias de agrotóxicos dos cooperados de Sertãozinho-SP e das filiais.
O depósito da cooperativa, com 300 m² consegue armazenar 25 toneladas de embalagens. “Quando recolhemos e damos um destino correto às embalagens vazias de agrotóxicos, estamos contribuindo com o meio ambiente e conscientizando os colaboradores”, disse o chefe de comercialização de defensivos e fertilizantes da Uname, Altair Luiz Porcionato.
Os materiais recolhidos são encaminhados para uma Central de Recebimento de Embalagens Vazias de Defensivos Agrícolas, situada na cidade de Araraquara-SP, a Associação das Revendas de Insumos Agrícolas de Araraquara e Região. Para as outras filiais, a Copercana tem convênio com postos de recebimentos nas cidades onde estão alocadas.
Por meio desse trabalho, desde 2002, a Uname já destinou de modo ambientalmente correto 1.083 toneladas de embalagens vazias de agrotóxicos utilizadas pelos seus cooperados. Só em 2016, foram destinadas 114 toneladas, número que indica um crescimento de 11,7% em relação a 2015, que foi de 102 toneladas.
Outra questão muito importante é a do armazenamento dos defensivos. Em 2016, a Copercana finalizou as obras da Central de Distribuição de Defensivos
Agrícolas, com área de 5.530 m². 
“A Central de Distribuição de Defensivos Agrícolas conta com capacidade de armazenagem de produtos de aproximadamente 8 mil toneladas e com a ferramenta de gestão W.M.S., que organiza todos os produtos colocados na central como: validade, classe de produtos e seus respectivos lotes de fabricação. Com isso, temos uma maior segurança no manuseio dos produtos, além da aquisição dos equipamentos de última geração que contribuem no dia a dia dos colaboradores que trabalham diretamente em contato com estes produtos e favorece um melhor atendimento aos nossos cooperados”, destacou o gerente comercial de Insumos da Copercana, Frederico Dalmaso.
Dados do inpEV
 
De acordo com o inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias) em 2016 foram retirados dos campos brasileiros 44.528 toneladas de embalagens vazias de agrotóxicos que tiveram sua destinação feita de forma correta, uma queda de 2,2% na quantidade destinada em 2015.
A redução no consumo de defensivos agrícolas, em 2016, foi provocada por fatores como alterações climáticas (excesso de chuvas na região Sul e seca na região Centro-Oeste e no Matopiba), expansão do plantio da variedade de soja Intacta, que reduz a aplicação de produto, e aumento do contrabando de agrotóxicos. Tais fatores geraram menos embalagens.
Sistema Campo Limpo
 
O Sistema Campo Limpo tem como base o princípio das responsabilidades compartilhadas entre todos os elos da cadeia produtiva (agricultores, fabricantes
e canais de distribuição, com apoio do poder público) para realizar a logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas. O Brasil é referência mundial na destinação ambientalmente correta do material, encaminhando 94% de embalagens plásticas primárias para reciclagem ou incineração.
Os estados de Rondônia, Sergipe e Tocantins obtiveram maior crescimento percentual na quantidade destinada. Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Goiás mantiveram os percentuais retirados nos anos anteriores e foram responsáveis pelos maiores volumes em números absolutos.
A quantidade de embalagens vazias destinadas de forma ambientalmente correta em 2016 fez com que o Sistema Campo Limpo superasse a marca de 410 mil toneladas, desde o início das operações, em 2002.