atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Usina terá capacidade para moer 4,1 milhões de toneladas de cana

15/01/2013 Cana-de-Açúcar POR: Campo Grande News
O município de Ivinhema, localizado a 282 km de Campo Grande, vai ganhar uma usina para a produção de açúcar e etanol com capacidade estimada de moer 4,1 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por safra.
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) liberou um financiamento de R$ 488,6 milhões para a implantação da usina.
O projeto está a cargo da empresa Adecoagro Vale do Ivinhema, controlada pelo grupo internacional Adecoagro, e prevê, ainda, a instalação de uma unidade de cogeração de energia elétrica com capacidade de 120 megawatts (MW), além de linha de transmissão associada.
O anúncio foi feito nesta segunda-feira (14) pelo banco, por meio de sua assessoria de imprensa. Como o empreendimento será feito em etapas, o apoio do BNDES ficará restrito aos investimentos que serão feitos até 2014, data de entrada de operação da usina.
Após o término da construção da unidade, deverão ser criados 1.360 vagas de empregos, que se somarão aos 3.781 postos de trabalho diretos que a Adecoagro Ivinhema tem atualmente.
Segundo informou o BNDES, esse é o segundo projeto sucroenergético implantado pelo grupo econômico no Brasil. O primeiro foi a Usina Angélica Agroenergia, também localizada no Mato Grosso do Sul, e que entrou em funcionamento em 2008 e teve empréstimo do BNDES no valor de R$ 151 milhões.
O município de Ivinhema, localizado a 282 km de Campo Grande, vai ganhar uma usina para a produção de açúcar e etanol com capacidade estimada de moer 4,1 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por safra.
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) liberou um financiamento de R$ 488,6 milhões para a implantação da usina.
O projeto está a cargo da empresa Adecoagro Vale do Ivinhema, controlada pelo grupo internacional Adecoagro, e prevê, ainda, a instalação de uma unidade de cogeração de energia elétrica com capacidade de 120 megawatts (MW), além de linha de transmissão associada.
O anúncio foi feito nesta segunda-feira (14) pelo banco, por meio de sua assessoria de imprensa. Como o empreendimento será feito em etapas, o apoio do BNDES ficará restrito aos investimentos que serão feitos até 2014, data de entrada de operação da usina.
Após o término da construção da unidade, deverão ser criados 1.360 vagas de empregos, que se somarão aos 3.781 postos de trabalho diretos que a Adecoagro Ivinhema tem atualmente.
Segundo informou o BNDES, esse é o segundo projeto sucroenergético implantado pelo grupo econômico no Brasil. O primeiro foi a Usina Angélica Agroenergia, também localizada no Mato Grosso do Sul, e que entrou em funcionamento em 2008 e teve empréstimo do BNDES no valor de R$ 151 milhões.