atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Usina termelétrica já produz energia usando bagaço da cana, em Goiás

25/02/2013 Cana-de-Açúcar POR: Portal G1
Após a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizar o funcionamento de três usinas termelétricas no País, uma delas, situada em Cachoeira Dourada, na região sul de Goiás, já está produzindo energia elétrica com o bagaço da cana-de-açúcar, subproduto extraído durante a produção de álcool.
A unidade começou ser construída em maio de 2012 e ainda está em obras, mas desde janeiro deste ano, iniciou os procedimentos para gerar energia. Gerente industrial da usina, Marcelo Cavalli garante que até junho deste ano a energia elétrica produzida na usina poderá abastecer uma cidade de aproximadamente 300 mil habitantes. E, quando as obras estiveram totalmente concluídas, o fornecimento será ainda maior.
"A capacidade dessa usina quando estiver totalmente pronta será de 2,5 milhões de toneladas de cana, gerando 200 milhões de litros de álcool e até 160 mil megawatts/h durante um ano", afirma o gerente industrial.
Cavalli explica como funciona a geração de energia elétrica no local: "O bagaço da cana é transportado para uma caldeira, onde ele é queimado na fornalha esquentando a água captado do rio, que se transforma em vapor de alta pressão. Com isso, o vapor move uma turbina, que movimenta um gerador elétrico. Para produzir 1 megawatts, são necessárias 3 toneladas de bagaço".
De acordo com ele, a energia gerada na usina é transportada através de uma linha de produção que se conecta a uma estação da Companhia Energética de Goiás (Celg) do município.
Após a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizar o funcionamento de três usinas termelétricas no País, uma delas, situada em Cachoeira Dourada, na região sul de Goiás, já está produzindo energia elétrica com o bagaço da cana-de-açúcar, subproduto extraído durante a produção de álcool.
A unidade começou ser construída em maio de 2012 e ainda está em obras, mas desde janeiro deste ano, iniciou os procedimentos para gerar energia. Gerente industrial da usina, Marcelo Cavalli garante que até junho deste ano a energia elétrica produzida na usina poderá abastecer uma cidade de aproximadamente 300 mil habitantes. E, quando as obras estiveram totalmente concluídas, o fornecimento será ainda maior.
"A capacidade dessa usina quando estiver totalmente pronta será de 2,5 milhões de toneladas de cana, gerando 200 milhões de litros de álcool e até 160 mil megawatts/h durante um ano", afirma o gerente industrial.
Cavalli explica como funciona a geração de energia elétrica no local: "O bagaço da cana é transportado para uma caldeira, onde ele é queimado na fornalha esquentando a água captado do rio, que se transforma em vapor de alta pressão. Com isso, o vapor move uma turbina, que movimenta um gerador elétrico. Para produzir 1 megawatts, são necessárias 3 toneladas de bagaço".
De acordo com ele, a energia gerada na usina é transportada através de uma linha de produção que se conecta a uma estação da Companhia Energética de Goiás (Celg) do município.