atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Usinas de MS contratam R$ 334,6 mi do BNDES para investimentos

30/04/2015 Cana-de-Açúcar POR: O Progresso de Dourados
Cinco usinas de Mato Grosso do Sul contrataram R$ 344,6 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em 2014 para investimentos em expansão e renovação de seus canaviais e também para a estocagem de etanol. Os dados são de levantamento realizado pelo CanaNews no portal do BNDES na internet.
 
Segundo o BNDES, desse total de contratações realizadas para o setor no ano passado, 75,9% dos recursos, o equivalente a R$ 254,2 milhões foram destinadas a três plantas do grupo Odebrecht Agroindustrial: a Costa Rica, em Costa Rica; a Santa Luzia, em Nova Alvorada do Sul e a Eldorado, em Rio Brilhante.
 
Para a usina Costa Rica, o BNDES liberou financiamento no valor de R$ 130,6 milhões. Os recursos, conforme a instituição foram utilizados para o plantio de 28.532 hectares, sendo 27.488 hectares de novas áreas e 1.044 hectares para a reforma dos já existentes.
 
Já para a Santa Luzia, o banco liberou R$ 88,5 milhões, para serem aplicados no plantio de 19.344 hectares, dos quais 18.615 hectares são de novos canaviais e 729 hectares que serão reformados. Por outro lado, para a Eldorado, o empréstimo foi no valor de R$ 35 milhões e o dinheiro será investido integralmente na reforma de 7.520 hectares de canaviais.
 
Além das três plantas da Odebrecht Agroindustrial, a instituição de fomento também liberou recursos para a usina Vale do Ivinhema, planta do grupo Adecoagro, em Ivinhema, no valor de R$ 55 milhões, como capital de giro para a armazenagem de etanol e R$ 25,3 milhões para a Iaco, em Chapadão do Sul, investir no plantio de 7.801 hectares de canaviais, sendo 6.770 hectares de áreas de expansão.
 
Volume processado
O volume processado de cana-de-açúcar pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do Brasil, até 15 de abril de 2015, atingiu 18,3 milhões de toneladas, 11,41% superior ao volume processado no mesmo período da safra 2014/2015.
 
Até 15 de abril, 166 usinas estavam em operação, contra 163 unidades registradas até a mesma data de 2014. Hoje, 28 de abril, mais de 200 unidades produtoras encontram-se em safra.
 
De todos os Estados do Centro-Sul, apenas São Paulo apresentou uma moagem inferior (em 26,74%) quando comparada aquela observada no mesmo período do último ano. Este resultado reflete o número menor de unidades operando no Estado: até 15 de abril de 2014, 86 unidades estavam em atividade, ante 81 verificadas em 2015. Outro fator que contribuiu para esta queda da moagem paulista foi o fato da atual safra ter iniciado tardiamente, com atraso médio de quatro dias em relação à data de início da safra anterior, além das condições para colheita menos favoráveis quando comparada aos demais Estados diante do maior volume de chuvas.
 
A safra 2015/2016 iniciou mais alcooleira do que a anterior, com o maior incremento na produção de etanol hidratado, dados os expressivos estoques de passagem de etanol anidro. O volume produzido de etanol hidratado, no acumulado desde o início da atual safra até 15 de abril, somou 681,14 milhões de litros – alta de 51,98% sobre o valor apurado no mesmo período de 2014. A produção de etanol anidro atingiu 119,49 milhões de litros, ao passo que a quantidade fabricada de açúcar totalizou 547,97 mil toneladas.
 
Em relação à produtividade agrícola, maiores detalhes serão fornecidos no próximo release, quando da apuração da moagem até o final do mês de abril.
 
Vendas de etanol
Mais uma vez, as vendas de etanol carburante pelas unidades produtoras da região Centro-Sul tiveram expressivo incremento comparativamente com os resultados 1ª quinzena de abril de 2014. O volume comercializado de etanol hidratado carburante aumentou 52,84% no período, totalizando 693,70 milhões de litros, contra 453,86 milhões de litros na mesma quinzena de 2014. (*Com informações da Única).
Cinco usinas de Mato Grosso do Sul contrataram R$ 344,6 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em 2014 para investimentos em expansão e renovação de seus canaviais e também para a estocagem de etanol. Os dados são de levantamento realizado pelo CanaNews no portal do BNDES na internet.
 
Segundo o BNDES, desse total de contratações realizadas para o setor no ano passado, 75,9% dos recursos, o equivalente a R$ 254,2 milhões foram destinadas a três plantas do grupo Odebrecht Agroindustrial: a Costa Rica, em Costa Rica; a Santa Luzia, em Nova Alvorada do Sul e a Eldorado, em Rio Brilhante.
 
Para a usina Costa Rica, o BNDES liberou financiamento no valor de R$ 130,6 milhões. Os recursos, conforme a instituição foram utilizados para o plantio de 28.532 hectares, sendo 27.488 hectares de novas áreas e 1.044 hectares para a reforma dos já existentes.
 
Já para a Santa Luzia, o banco liberou R$ 88,5 milhões, para serem aplicados no plantio de 19.344 hectares, dos quais 18.615 hectares são de novos canaviais e 729 hectares que serão reformados. Por outro lado, para a Eldorado, o empréstimo foi no valor de R$ 35 milhões e o dinheiro será investido integralmente na reforma de 7.520 hectares de canaviais.
 
Além das três plantas da Odebrecht Agroindustrial, a instituição de fomento também liberou recursos para a usina Vale do Ivinhema, planta do grupo Adecoagro, em Ivinhema, no valor de R$ 55 milhões, como capital de giro para a armazenagem de etanol e R$ 25,3 milhões para a Iaco, em Chapadão do Sul, investir no plantio de 7.801 hectares de canaviais, sendo 6.770 hectares de áreas de expansão.
 
Volume processado
O volume processado de cana-de-açúcar pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do Brasil, até 15 de abril de 2015, atingiu 18,3 milhões de toneladas, 11,41% superior ao volume processado no mesmo período da safra 2014/2015.
 
Até 15 de abril, 166 usinas estavam em operação, contra 163 unidades registradas até a mesma data de 2014. Hoje, 28 de abril, mais de 200 unidades produtoras encontram-se em safra.
 
De todos os Estados do Centro-Sul, apenas São Paulo apresentou uma moagem inferior (em 26,74%) quando comparada aquela observada no mesmo período do último ano. Este resultado reflete o número menor de unidades operando no Estado: até 15 de abril de 2014, 86 unidades estavam em atividade, ante 81 verificadas em 2015. Outro fator que contribuiu para esta queda da moagem paulista foi o fato da atual safra ter iniciado tardiamente, com atraso médio de quatro dias em relação à data de início da safra anterior, além das condições para colheita menos favoráveis quando comparada aos demais Estados diante do maior volume de chuvas.
 
A safra 2015/2016 iniciou mais alcooleira do que a anterior, com o maior incremento na produção de etanol hidratado, dados os expressivos estoques de passagem de etanol anidro. O volume produzido de etanol hidratado, no acumulado desde o início da atual safra até 15 de abril, somou 681,14 milhões de litros – alta de 51,98% sobre o valor apurado no mesmo período de 2014. A produção de etanol anidro atingiu 119,49 milhões de litros, ao passo que a quantidade fabricada de açúcar totalizou 547,97 mil toneladas.
 
Em relação à produtividade agrícola, maiores detalhes serão fornecidos no próximo release, quando da apuração da moagem até o final do mês de abril.
 
Vendas de etanol
Mais uma vez, as vendas de etanol carburante pelas unidades produtoras da região Centro-Sul tiveram expressivo incremento comparativamente com os resultados 1ª quinzena de abril de 2014. O volume comercializado de etanol hidratado carburante aumentou 52,84% no período, totalizando 693,70 milhões de litros, contra 453,86 milhões de litros na mesma quinzena de 2014. (*Com informações da Única).