atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

VII Reunião Técnica do Projeto Amendoim da Copercana

04/11/2013 Noticias do Sistema POR: Revista Canavieiros - ed. 88
Foi realizada no dia 24 de setembro, no auditório da Canaoeste, a VII Reunião Técnica de Amendoim da Copercana, que contou com a participação de produtores rurais, das empresa Bayer e Chemtura, equipes técnicas e diretores da cooperativa e associação. O evento foi coordenado pelo gerente da Uname (Unidade de Grãos da Copercana), Augusto César Strini Paixão.
Em seu discurso de abertura, o presidente da Copercana e da Sicoob Cocred, Antônio Eduardo Tonielo, disse que “antigamente o amendoim não tinha preço e hoje conseguimos fazer um grupo de produtores (projeto do amendoim) que luta por preços e qualidade, com isso o nosso produto se tornou de ponta. Não adianta querermos produzir mais do que o mercado aceita, se não tivermos onde colocar. Hoje temos que diminuir custos e conviver com as exigências do mercado. Procuramos dar todo o suporte desde a semente, insumos e até a colheita. Vamos continuar fazendo cada vez melhor. Temos que trazer mais ganhos aos nossos produtores”, afirmou. 
Segundo o presidente da Canaoeste, Manoel Ortolan, a Copercana procura trabalhar para oferecer aos produtores uma condição boa de preço e buscar a melhor rentabilidade. “Vejo esse grupo de produtores da Copercana com bons olhos. Temos que trabalhar a questão da sustentabilidade - o econômico, o social e o ambiental. Não se pode produzir de qualquer jeito e esse grupo sabe disso. O consumidor final está cada vez mais exigente, quer comprar alimento onde se sinta seguro. Precisamos trabalhar também a questão das perdas, estima-se que um terço da produção mundial se perde no caminho. Então foco na produtividade e foco no desperdício”, disse.
Na sua apresentação, o gerente da Uname, falou sobre “Perspectivas de mercado e a visão do futuro da cooperativa.” Mostrou a produção e consumo de cada continente, prevendo que no futuro haverá uma demanda maior do que a produção mundial. A perspectiva da cooperativa é investir em infraestrutura de secagem, armazenagem e processos, para ter com isto um amendoim de melhor qualidade e valor agregado diferenciado.  
A meteorologista do Climatempo, Patrícia Madeira, explicou a diferença entre clima e tempo, fez previsões climáticas de outubro de 2013 a março de 2014 e tirou dúvidas dos produtores. “Março de 2014, época de colheita, será de bastante chuva durante vários dias, com chuva acima da média e temperatura abaixo da média. Por isso, o ideal é que os produtores façam um planejamento e previnam-se. É importante manter-se informados e tentar saber com antecedência o que pode acontecer para evitar surpresas indesejáveis”, afirmou a meteorologista.
  
No espaço técnico, o engenheiro agrônomo, representante da Chemtura Agro Solutions na região, Ricardo Fonseca Lindenberg e o agrônomo representante da Bayer, Thiago Silveira,  apresentaram  os produtos de suas  empresas. 
O professor coordenador do PPG em Agronomia (produção vegetal) FCAV/ UNESP – Jaboticabal – Departamento de Engenharia Rural), Dr. Rouverson Pereira da Silva, em sua apresentação sobre “Monitoramento de perdas na colheita de amendoim”, chamou a atenção dos participantes para a importância de fazer avaliação de perdas na colheita e que junto com seus alunos nos trabalhos de graduação com apoio da Copercana, desenvolveu uma tabela de fácil monitoramento, que será entregue aos produtores na próxima colheita, pelo departamento técnico da Copercana (Edgar, Juliano e Tiago).