atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

VIII Agronegócios Copercana é recorde em negócios

24/08/2012 Noticias do Sistema POR: Revista Canavieiros - Ed73 - julho de 2012
Por: Carla Rodrigues

De 27 a 29 de junho, aconteceu a 8ª edição do Agronegócios Copercana, feira exclusiva aos cooperados do Sistema Copercana, Canaoeste e Sicoob Cocred. A feira foi realizada no Clube de Campo Vale do Sol, em Sertãozinho e contou com aproximadamente 3 mil visitantes.
Para a cerimônia de abertura estiveram presentes o presidente da Copercana e Sicoob Cocred, Antonio Eduardo Tonielo, o presidente da Canaoeste e diretor da Copercana e Sicoob Cocred, Manoel Ortolan, o diretor da Copercana, Pedro Esrael Bighetti, o diretor Administrativo/Financeiro da Sicoob Cocred, Márcio Meloni, o diretor de Negócios da Sicoob Cocred, Vinícius Grassi Pongitor, o diretor de Crédito da Sicoob Cocred e da Canaoeste, Francisco César Urenha, os diretores da Canaoeste, Daniel Aníbal e Gaspar Carmanhan da Silveira. Além disso, também participaram autoridades e lideranças do setor sucroenergético, como o prefeito de Sertãozinho, Nério Costa, o presidente do Ceise Br (Centro Nacional das Indústrias do Setor Sucroenergético e Biocombustíveis), Adézio José Marques e o secretário da Indústria, Comércio, Abastecimento, Agricultura e Relações do Trabalho da cidade, Marcelo Pellegrini.
Em 2011, o volume de negócios realizados durante a feira alcançou R$ 120 milhões, e neste ano o volume de negócios alcançou os R$ 150 milhões. Segundo o presidente da Copercana, Antonio Eduardo Tonielo, o sucesso de vendas do Agronegócios se deve aos principais serviços oferecidos pela cooperativa que é prazo e qualidade, além da credibilidade que a Copercana tem. “Já estamos na 8ª edição da feira e a cada ano ela vem se aprimorando mais. Procuramos sempre melhorar a relação com as empresas que são parceiras da cooperativa, principalmente no que diz respeito à qualidade dos produtos e serviços prestados. Se nossos parceiros sentem confiança na cooperativa, consequentemente nossos cooperados também vão sentir e é isso que faz o Agronegócios crescer a cada ano”, disse Tonielo.
Para o diretor da Copercana, Pedro Esrael Bighetti, a feira acontece na melhor época para os produtores, entre final de junho e início de julho, que é o período em que se inicia a safra e é quando todos já têm em mãos o planejamento do ano.  “Procuramos sempre realizar a feira nesta época, pois é o momento em que o produtor se organiza e quer ir atrás de preço e prazo que oferecemos aqui, além da garantia de entrega dos produtos”, explicou Bighetti.
 De acordo com o presidente da Canaoeste, Manoel Ortolan, o volume de pedidos foi grande e um dos motivos foi a preocupação dos produtores com a possibilidade de faltar produto no mercado, levando-os a anteciparem as compras. Além disso, o clima deste ano está bastante diferente em relação ao mesmo período do ano passado, quando a região Centro-Sul passou por uma falta de chuva, prejudicando a lavoura. “O grande negócio é o cooperado fazer a compra com uma condição melhor de preço e prazo. Como concentramos todas as empresas parceiras da Copercana na feira para fazerem um “boom” de vendas, é feito um esforço tanto por parte da cooperativa quanto pelas empresas, para que sejam repassadas ao produtor as melhores condições de comercialização. Àquele cooperado que realizou suas compras nesta feira, já pode adubar sua cana e com isso aumentar a produtividade da próxima safra”, explicou Ortolan. 
O gerente de comercialização da Copercana, Frederico José Dalmaso, destacou uma das vantagens em adquirir o produto no Agronegócios, que é a liberdade que o cooperado tem de comprar o produto e retirá-lo somente quando for utilizar. “Este ano, mais do que as edições anteriores da feira, o evento acontece num momento bem oportuno, pois o mercado passa por uma escassez de produto e a Copercana se preparou para isso, chegando à feira com seu depósito abastecido para atender todos os pedidos dos nossos cooperados”, disse Dalmaso.
Há vários anos no Brasil, a DuPont, empresa multinacional de ciência, é parceira da Copercana há mais de 30 anos e também não poderia ficar fora do VIII Agronegócios. Neste ano, o vice-presidente de Produtos Agrícolas da DuPont Brasil, Mário Tenerelli, esteve presente na feira, assim como seus diretores e a equipe de pesquisa e desenvolvimento, a fim de estreitar ainda mais a relação com a cooperativa e principalmente com seus produtores. “Aprimoramos muito em participar desta feira, não somente para valorizar todos esses anos de parceria, mas também para estarmos mais perto dos produtores e, assim, passarmos a entender a tendência de mercado, as necessidades deles, trazer isso para a DuPont, transformar em inovação e apresentar novamente aqui para a Copercana os produtos que lançarmos no futuro como resultado desta interação”, explicou Tenerelli.
Esta é também a opinião do produtor e cooperado, Célio Márcio Sorci. Para ele, a feira é uma oportunidade para estar em contato direto com as empresas fornecedoras de produtos e consequentemente, passar a conhecer as novidades do mercado. “O Agronegócios Copercana é a chance que o cooperado tem de conferir em um único dia todas as opções de produtos disponíveis no mercado e encontrar aquele que se adéqua a sua lavoura. Além disso, a feira também nos proporciona condições de financiamento melhores do que em qualquer outro banco e isso é muito importante para nós que trabalhamos com a terra, pois nunca sabemos quando iremos precisar desta ajuda que a cooperativa nos oferece”, disse Sorci. 
Pelo 5º ano consecutivo, foi realizado durante a feira o tradicional rali para os cooperados, que entregou uma TV LCD de 47’’ por dia.  Também através de sorteio, a Copercana Seguros entregou um home theater por dia. 
De 27 a 29 de junho, aconteceu a 8ª edição do Agronegócios Copercana, feira exclusiva aos cooperados do Sistema Copercana, Canaoeste e Sicoob Cocred. A feira foi realizada no Clube de Campo Vale do Sol, em Sertãozinho e contou com aproximadamente 3 mil visitantes.
Para a cerimônia de abertura estiveram presentes o presidente da Copercana e Sicoob Cocred, Antonio Eduardo Tonielo, o presidente da Canaoeste e diretor da Copercana e Sicoob Cocred, Manoel Ortolan, o diretor da Copercana, Pedro Esrael Bighetti, o diretor Administrativo/Financeiro da Sicoob Cocred, Márcio Meloni, o diretor de Negócios da Sicoob Cocred, Vinícius Grassi Pongitor, o diretor de Crédito da Sicoob Cocred e da Canaoeste, Francisco César Urenha, os diretores da Canaoeste, Daniel Aníbal e Gaspar Carmanhan da Silveira. Além disso, também participaram autoridades e lideranças do setor sucroenergético, como o prefeito de Sertãozinho, Nério Costa, o presidente do Ceise Br (Centro Nacional das Indústrias do Setor Sucroenergético e Biocombustíveis), Adézio José Marques e o secretário da Indústria, Comércio, Abastecimento, Agricultura e Relações do Trabalho da cidade, Marcelo Pellegrini.
Em 2011, o volume de negócios realizados durante a feira alcançou R$ 120 milhões, e neste ano o volume de negócios alcançou os R$ 150 milhões. Segundo o presidente da Copercana, Antonio Eduardo Tonielo, o sucesso de vendas do Agronegócios se deve aos principais serviços oferecidos pela cooperativa que é prazo e qualidade, além da credibilidade que a Copercana tem. “Já estamos na 8ª edição da feira e a cada ano ela vem se aprimorando mais. Procuramos sempre melhorar a relação com as empresas que são parceiras da cooperativa, principalmente no que diz respeito à qualidade dos produtos e serviços prestados. Se nossos parceiros sentem confiança na cooperativa, consequentemente nossos cooperados também vão sentir e é isso que faz o Agronegócios crescer a cada ano”, disse Tonielo.
Para o diretor da Copercana, Pedro Esrael Bighetti, a feira acontece na melhor época para os produtores, entre final de junho e início de julho, que é o período em que se inicia a safra e é quando todos já têm em mãos o planejamento do ano.  “Procuramos sempre realizar a feira nesta época, pois é o momento em que o produtor se organiza e quer ir atrás de preço e prazo que oferecemos aqui, além da garantia de entrega dos produtos”, explicou Bighetti.
 De acordo com o presidente da Canaoeste, Manoel Ortolan, o volume de pedidos foi grande e um dos motivos foi a preocupação dos produtores com a possibilidade de faltar produto no mercado, levando-os a anteciparem as compras. Além disso, o clima deste ano está bastante diferente em relação ao mesmo período do ano passado, quando a região Centro-Sul passou por uma falta de chuva, prejudicando a lavoura. “O grande negócio é o cooperado fazer a compra com uma condição melhor de preço e prazo. Como concentramos todas as empresas parceiras da Copercana na feira para fazerem um “boom” de vendas, é feito um esforço tanto por parte da cooperativa quanto pelas empresas, para que sejam repassadas ao produtor as melhores condições de comercialização. Àquele cooperado que realizou suas compras nesta feira, já pode adubar sua cana e com isso aumentar a produtividade da próxima safra”, explicou Ortolan. 
O gerente de comercialização da Copercana, Frederico José Dalmaso, destacou uma das vantagens em adquirir o produto no Agronegócios, que é a liberdade que o cooperado tem de comprar o produto e retirá-lo somente quando for utilizar. “Este ano, mais do que as edições anteriores da feira, o evento acontece num momento bem oportuno, pois o mercado passa por uma escassez de produto e a Copercana se preparou para isso, chegando à feira com seu depósito abastecido para atender todos os pedidos dos nossos cooperados”, disse Dalmaso.
Há vários anos no Brasil, a DuPont, empresa multinacional de ciência, é parceira da Copercana há mais de 30 anos e também não poderia ficar fora do VIII Agronegócios. Neste ano, o vice-presidente de Produtos Agrícolas da DuPont Brasil, Mário Tenerelli, esteve presente na feira, assim como seus diretores e a equipe de pesquisa e desenvolvimento, a fim de estreitar ainda mais a relação com a cooperativa e principalmente com seus produtores. “Aprimoramos muito em participar desta feira, não somente para valorizar todos esses anos de parceria, mas também para estarmos mais perto dos produtores e, assim, passarmos a entender a tendência de mercado, as necessidades deles, trazer isso para a DuPont, transformar em inovação e apresentar novamente aqui para a Copercana os produtos que lançarmos no futuro como resultado desta interação”, explicou Tenerelli.
Esta é também a opinião do produtor e cooperado, Célio Márcio Sorci. Para ele, a feira é uma oportunidade para estar em contato direto com as empresas fornecedoras de produtos e consequentemente, passar a conhecer as novidades do mercado. “O Agronegócios Copercana é a chance que o cooperado tem de conferir em um único dia todas as opções de produtos disponíveis no mercado e encontrar aquele que se adéqua a sua lavoura. Além disso, a feira também nos proporciona condições de financiamento melhores do que em qualquer outro banco e isso é muito importante para nós que trabalhamos com a terra, pois nunca sabemos quando iremos precisar desta ajuda que a cooperativa nos oferece”, disse Sorci. 
Pelo 5º ano consecutivo, foi realizado durante a feira o tradicional rali para os cooperados, que entregou uma TV LCD de 47’’ por dia.  Também através de sorteio, a Copercana Seguros entregou um home theater por d