atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

O assunto do dia 10 de junho de 2020: Doce maio chinês

10/06/2020 Agronegócio POR: Marino Guerra

Assim como o Detona Ralph, o setor precisa sair quebrando muros mundo afora

Asiáticos crescem mais de 800% as compras de açúcar bruto

O que o setor sucroenergético brasileiro precisa é a quebra de amarras protecionistas que destroem sua eficiência no mercado global.

Quer a prova da definição acima? Resultados divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior sobre a balança comercial brasileira, até o mês de maio de 2020, mostram que o açúcar bruto teve uma variação positiva (em dólares) de 40%, entrando quase US$ 600 milhões a mais no período.

Quando observada a ida do adoçante vindo da cana em seu estado bruto e exportado para a China em específico começa a surgir a resposta. No acumulado do ano essa variação foi positiva em 57%, número muito positivo, mas que se transforma num monstro ao fazer o recorte somente de maio, variação de assombrosos 848%.

Para se ter ideia, até o mês cinco o setor havia faturado com a China algo em torno de US$ 185 milhões, só em maio foram US$ 166 milhões desse montante.

E os argumentos para essa arrancada? Claro que teve o tempero cambial, com o dólar valorizado em mais de 35%, também tem como ingrediente o fato do país asiático querer recompor os seus estoques de alimentos corroídos pelo Covid-19, mas o protagonista desse prato é com certeza a queda da salvaguarda, que vigorava desde 2017 e expirou no dia 22 de maio.

E quem fez esse golaço foi uma troca de passes espetacular entre os ministérios das relações exteriores, da agricultura e da economia, que conseguiram um acordo diplomático depois de um pedido de consulta, a respeito da barreira comercial, na Organização Mundial do Comércio (OMC).

Um detalhe importante, o muro veio abaixo somente no dia 22 de maio, ou seja, é muito provável que esteja saindo de Santos muito açúcar rumo ao continente asiático no corrente mês, tanto que a COFCO, trading Chinesa com operação no setor sucroenergético, já havia anunciado que seu terminal no maior porto do Brasil está destinado exclusivamente para o produto.

O fato pode explicar porque a cotação em Nova York fechou o pregão de hoje valendo 12,23 cents de dólar por libra-peso.

Navegar é Preciso

O Brasil é o melhor do mundo para produzir açúcar e etanol, se ficar bom em destruir barreiras, as chuvas de prosperidade voltarão a cair nos canaviais.