atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Próximo ciclo de soja e amendoim deve manter a aceleração

08/06/2020 Noticias do Sistema POR: Marino Guerra

Na plataforma haverá muita informação sobre o mundo dos grãos

Cooperativa está preparada para atender à demanda dos produtores

O braço de amendoim, soja e milho da Copercana se prepara para o Agronegócios Copercana. Isso significa que os produtores terão a oportunidade de realizar bons negócios de insumos, sementes, corretivos e maquinário ao longo do período do evento.

Toda expectativa positiva é justificada por diversos motivos que direcionam para um ano muito positivo nas culturas mencionadas no parágrafo acima e foram elencadas pelo diretor-administrativo e líder do setor de grãos e máquinas, Augusto Cesar Strini Paixão.

A primeira é quanto a espetacular safra que se encerrou recentemente, onde a união de preço, câmbio e produção (no caso do amendoim se acrescenta a qualidade), gerou forte remuneração para os agricultores que investiram nessas lavouras.

O executivo mostra que a Copercana recebeu cerca de 67 mil toneladas de soja nas suas duas unidades (Sertãozinho e Guaíra) e ressaltou que a capacidade instalada tem condições de ampliar esse volume até pelo ritmo forte de venda da commoditie.

Fato que ele acredita que será um grande influenciador do crescimento da próxima temporada, sendo o segundo argumento de sua perspectiva positiva: “Observando as tendências, todas apontam para a permanência da prosperidade no mercado mundial de soja, dessa maneira, principalmente observando a região de Sertãozinho, não tenho dúvidas que no próximo período de reforma a rotação de cultura do grão crescerá expressivamente, os números comprovam sua rentabilidade superior em relação à adubação verde e o plantio de cana de ano, justificando a escolha”, explica Paixão.

O diretor-administrativo e líder do segmento de grãos da Copercana, Augusto César Strini Paixão, mostra otimismo com o mercado até mesmo em projeções de médio prazo

Para o amendoim, a notícia da safra se resume em apenas um número, das 26 mil toneladas recebidas, 20 mil serão comercializadas para o mercado externo, o restante será destinado para o mercado interno e produção de sementes. Com a atual marcha altista do câmbio não precisa ser um gênio para identificar que a produção será muito bem vendida.

Além disso, Paixão também ressalta os bons preços ocasionados principalmente pela qualidade da mercadoria, que abre os mercados mais exigentes e melhores pagadores.

E a safra foi tão positiva que a produção de sementes será maior a ponto de atender à demanda que crescerá através do aumento de área dos atuais participantes do projeto.

Sobre a abertura para novos integrantes, o executivo disse que hoje não é possível pois a capacidade de industrialização está próxima do limite, e o único crescimento possível é através das áreas dos produtores que já estão juntos por ser controlada, contudo ele fala que está sendo implementada uma nova planta de beneficiamento, localizada onde era a antiga Usina Albertina (na estrada que liga Cruz das Posses a Pontal), o que ampliará as vagas para novos interessados.

O milho é mais um negócio que vem ganhando seu espaço. No fechamento da atual safrinha é esperado um crescimento de 25% no volume. Os números não são tão grandes como da soja e amendoim, mas as 20 mil toneladas que estão sendo aguardadas são a fonte de um escopo de negócio que termina na venda pela própria Copercana em suas Lojas de Ferragens, de modo que tanto o produtor que entrega como o criador que compra, conseguem cifras melhores.

Confira outras notícias referentes ao Agronegócios Copercana nos seguintes links:

Vai ter Agronegócios Copercana!

Como funcionará

Amplo portfólio de produtos

Rating de respeito